facebook
Loading
Teatro · Sexta 22, Sábado 23 e domingo 24 de Junho de 2007
Dia 22: 1ª Parte (21h) Dias 23 e 24: 1ª Parte (16h) e 2ª Parte (21h) · Palco do Grande Auditório · Duração cada parte 3h00 com intervalos

Gatz
Um espectáculo de Elevator Repair Service


© Chris Beirens
Folha de Sala (pdf)

Classificação: M/12

Espectáculo em inglês sem legendas, com resumo em português

Gatz teve estreia mundial no Kunsten Festival des Arts (Bruxelas) em Maio 2006.
Gatz é um espectáculo-maratona que apresenta o texto integral d’O Grande Gatsby de F. Scott Fitzgerald: ipsis verbis, sem cortes nem montagem. Tudo começa quando um homem chega para trabalhar num escritório, saca de um exemplar do romance e começa a ler em voz alta. Os seus colegas mal parecem dar-se conta, mas como que por coincidência há acções e imagens que começam a sugerir ligações entre o livro e o escritório. Gatz aproveita o que há de único no teatro: ao vivo, imprevisível e emotivo; ao mesmo tempo o desafio é o de trazer para o palco a força da prosa de Fitzgerald, provocando a imaginação do espectador através do texto.
O espectáculo pode ser visto todo num só dia (com três intervalos, um deles para jantar) ou em duas prestações.

Elevator Repair Service é uma companhia nova-iorquina que existe desde 1991. É um dos mais importantes grupos experimentais da cidade. Nos seus espectáculos combina comédia slapstick, cenários de alta e baixa tecnologia, textos literários ou found-texts, objectos encontrados e mobília deitada fora, assim como um estilo coreográfico altamente desenvolvido.

Num número que se tornou lendário, o cómico Andy Kaufman, inspiração antiga da companhia, costumava entrar em palco num clube de comédia, sacar de um exemplar d’O Grande Gatsby e ler capítulo atrás de capítulo até que o público aborrecido saísse revoltado. A diferença é que Gatz não é um número e o público tem não só ficado até ao fim mas aplaudido entusiasticamente.
jason zinoman
The New York Times, 16-07-2006

O fulcro do espectáculo é Shepherd, cuja preparação mal se consegue imaginar. Ao longo das horas começa de forma hesitante, depois desenha ondas de entusiasmo e desilusão até à meia hora final, onde, sem interromper a narração, começa a folhear o livro que estava a ler.
(…) Talvez o maior sucesso do encenador John Collins com Gatz tenha sido a produção de um tom singular que equilibra gravidade, labor e tragédia com irreverência, sátira e leveza equiparáveis.
quentin skinner
Variety, 1-10-2006

Encenação John Collins
Assistente de encenação Steve Bodow
Produtora Ariana Truman
Cenografia Louisa Thompson
Desenho de luzes Mark Barton
Figurinos Colleen Werthmann
Desenho de som Ben Williams
Produção B.D. White
Interpretação Scott Shepherd, Jim Fletcher, Kate Scelsa, Susie Sokol, Robert Cucuzza, Lucy Taylor, Vin Knight, Aaron Landsman, Laurena Allan, Ben Williams, Annie McNamara, Mike Iveson, Ross Fletcher
Uma produção Elevator Repair Service Theater
Co-encomenda do Walker Art Center (Minneapolis) em parceria com o Museum of Contemporary Art (Chicago), o Portland Institute for Contemporary Art e o National Performance Network Creation Fund.

 

Gatz is a marathon play: the entire unabridged The Great Gatsby. It begins when a man arrives at work, takes out a copy of the book, and starts to read it aloud. Then events in the office begin to coincide with the events in the book. Gatz is an unpredictable and emotive show fuelled by Fitzgerald’s powerful prose.
The play can be seen in a single day, with three intervals, including one for dinner, or on two separate days.
Elevator Repair Service was founded in New York in 1991. Its shows combine slapstick, high (and low) tech, literature, junk furniture and choreography.

© 2010 Culturgest