facebook
Loading
Conversas · QUArta 11, QUArta 18 e QUInta 26 de Abril e QUArta 2 de Maio de 2007
18h30 · Sala 2 · Duração 2h00

Marcas (Imprints)
O Romance: quatro vestígios numa longa viagem
Por Helena Vasconcelos


Documentação
Jane Austen (pdf)
James Joyce (pdf)
Virginia Woolf (pdf)
Ian McEwan (pdf)

Classificação: M/12

Será Jane Austen uma autora popular que se aborrecia em casa e escreveu sempre sobre as mesmas coisas? E James Joyce? É justo considerá-lo como um autor “difícil” (Ulisses) ou mesmo “ilegível” (Finnegans Wake)? Poderemos considerar a obra de Virginia Woolf como o reflexo da mente de uma senhora “perturbada” e um pouco excêntrica? E quanto a Ian McEwan? A sua obra resistirá ao tempo ou ficará apenas como o resultado das divagações de um homem “sob a influência”?
Uma coisa é certa: são quatro nomes fundamentais da Literatura anglo-saxónica que tiveram um peso determinante e continuam a influenciar fortemente a escrita e a cultura do nosso tempo. Jane Austen é justamente considerada como a percursora de um género literário, o “romance moderno”, Virginia Woolf e James Joyce são os dignos – e por vezes antagónicos – representantes do Modernismo, um movimento cultural que traduziu, como poucos, as questões relevantes do Zeitgeist do século XX e Ian McEwan é o escritor britânico, contemporâneo que melhor soube – e sabe – recuperar a tradição do romance como género, em pleno século XXI.
Nestas “conversas”, destinadas aos não especialistas, tentarei demonstrar que o interesse – e o prazer – de ler estes autores passa pela observação das suas trajectórias, isto é, das suas vidas e obras num contexto familiar, artístico, social, político e histórico. Falarei da vida de cada autor, da sua obra, das influências que sofreu e das “marcas” que deixou.
Estas conversas durarão 1h30, com projecção de imagens. No final, a sessão abre-se aos comentários dos espectadores.

helena vasconcelos

 

Helena Vasconcelos nasceu em Lisboa. Filologia Germânica, Universidade de Lisboa. História de Arte e Estética, Ar.Co., Lisboa. Escritora e crítica literária. Colaborações: suplemento Mil Folhas do Jornal Público, revista Elle. Dirige Storm-Magazine. O Lugar da Cultura (www.storm-magazine.com).

Quarta, 11 de Abril
Jane Austen – o romance tornado burguês

Quarta, 18 de Abril
James Joyce – o romance como música das palavras

Quinta, 26 de Abril
Virginia Woolf – o romance como corrente da consciência

Quarta, 2 de Maio
Ian McEwan – o romance urbano do novo milénio

Was Jane Austen’s dull home the reason why she constantly wrote about the same things? Is James Joyce really “difficult” (Ulysses) or “unreadable” (Finnegan’s Wake)? Was Virginia Woolf a “disturbed” eccentric? Will Ian McEwan’s work survive in the new millenium? All four writers are cornerstones of English literature.
These talks for non-specialists aim to show that their lives provide a fuller context for their work.
Austen is the precursor of a literary genre – the modern novel; Woolf and Joyce represent Modernism; and McEwan has revived the novel in the 21st century.
Each talk lasts 1½ hours, looking at each author’s life, work, influences and legacy, plus the political, social and family context, before opening the floor to members of the audience.

Helena Vasconcelos was born in Lisbon. German Philology, Lisbon University. Art History and Aesthetics, Ar.Co., Lisbon. Writer and literary critic. Works for Público newspaper and Elle magazine. Editor of Storm-Magazine. O Lugar da Cultura (www.storm-magazine.com).

© 2010 Culturgest