facebook
Loading
Música · Segunda 8 de Outubro de 2007
21h30 · Grande Auditório· Duração 1h10

Som e verbo
dois rostos, dois olhares
Espectáculo integrado no ciclo ‘Os Filhos de Abraão’


Pedro Amaral · Pierre Boulez · René Char · Fernando Pessoa

Folha de Sala (pdf)

Classificação: M/12

Le Marteau sans Maître constitui uma obra emblemática, não apenas no catálogo do grande compositor francês, mas da própria história do pensamento musical contemporâneo, rosto simbólico da vanguarda no pós Segunda Grande Guerra. Esta obra-prima será interpretada pela meio-soprano Angelica Cathariou – magnífica voz emergente no panorama internacional –, acompanhada pelo Grupo de Música Contemporânea de Lisboa sob a direcção de Pedro Amaral.

Na segunda parte, Pedro Amaral dirige ainda a Orquestra Metropolitana de Lisboa, com as sopranos Sandra Medeiros (Salomé), Ângela Alves e Sara Braga Simões (na curta intervenção das duas Aias). Trata-se da estreia mundial de um fragmento da ópera O Sonho (encomenda da Fundação Calouste Gulbenkian, Serviço de Música), sobre os fragmentos literários que Fernando Pessoa escreveu para um drama a partir do mito de Salomé – duas obras que coincidem na sua incompletude. Na obra que o poeta nunca chegou a concluir, o mito cristão – que estabelece a ponte com o ciclo “Os Filhos de Abraão” – é, na realidade, adaptado de modo praticamente autobiográfico, com a personagem central, Salomé, desdobrando-se num fenómeno de quase heteronímia, e sonhando personagens que sonham outras, modificando o sentido da vida através do sonho. Como Pessoa e o infortunado João Baptista, também Salomé nos aparece aqui como uma cabeça separada do corpo, incapaz de viver se não em sonho, sem tocar a realidade tangível se não através da palavra como verbalização da ideia. Mas Pessoa vai mais longe, e faz de Salomé a própria expressão de um ideal: o da absoluta beleza feminina que, ao incarnar fisicamente, deflecte o sentido do tempo e da história.

Para terminar, Pedro Amaral recria Os Jogadores de Xadrez, tema musical sobre a mais longa e estruturada ode de Ricardo Reis, dando-nos a conhecer uma nova versão desta peça coral que teve a sua estreia (e única apresentação) em 2004, num concerto especial da Fundação Calouste Gulbenkian.

 

PROGRAMA

1ª Parte
Pierre Boulez
Le Marteau sans Maître
(1955 – a partir de René Char)

Meio-soprano Angelica Cathariou
Ensemble Grupo de Música Contemporânea de Lisboa
Direcção Pedro Amaral

 

2ª Parte
Pedro Amaral
Fragmentos para a ópera de câmara O Sonho (2007 – sobre fragmentos dramáticos de Fernando Pessoa) (versão de concerto)

Orquestra Metropolitana de Lisboa
Soprano Sandra Medeiros – Salomé
Sopranos Angela Alves e Sara Braga Simões – Duas Aias
Direcção Pedro Amaral

Pedro Amaral
Os Jogadores de Xadrez (2004, nova versão, 2007, sobre uma Ode de Ricardo Reis)

Coro Voces Caelestes
Direcção Pedro Amaral

 

This show presents two musical views of two works of poetry: Pierre Boulez’s Le Marteau sans Maître is based on poetry by René Char, and O Sonho by Pedro Amaral is based on fragments of Fernando Pessoa’s dramas.
Le Marteau sans Maître is a landmark in post-war contemporary music. It will be performed by mezzo-soprano Angélica Cathariou accompanied by the Lisbon Contemporary Music Group conducted by Pedro Amaral.
In the second part, Amaral conducts the Lisbon Metropolitan Orchestra performing his opera O Sonho based on the Salomé myth, creating a link with the “Children of Abraham” series.
Amaral has created an unusual reading of unfinished fragments left by Pessoa, with deeply original and symbolic music.

apsv
© 2010 Culturgest