facebook
Loading
Teatro · de terça 10 a Domingo 15 de Julho de 2007
21h30 (dias 10 a 14) 17h00 (dia 15) · Pequeno Auditório· Duração 1h30

Sete Contra Tebas
De Ésquilo. Um espectáculo de Diogo Dória. Integrado no Festival de Almada.


Folha de Sala (pdf)

Classificação: M/12

Sete contra Tebas (467 a.C.) é a única tragédia conhecida de uma tetralogia de Ésquilo que incluia ainda Laio, Édipo e o drama satírico A Esfinge. Nesta peça do mais antigo dos três tragediógrafos a figura do herói Etéocles ergue-se graças à força grave e superior da sua conduta viril sobre um fundo de terror e medo. A tragédia grega, mais do que uma acção, é aqui a expressão de um sofrimento. Num texto onde o confronto entre o herói e os deuses é estruturalmente de uma enorme clareza, Etéocles afirma a sua liberdade apesar da maldição que pesa sobre a raça dos Labdácidas.
Para além da poesia do texto, o que nos fica hoje de uma tragédia assim?
diogo dória

Diogo Dória estreou-se como actor em 1975, tendo desde então trabalhado com encenadores como Osório Mateus, Luís Miguel Cintra, Filipe La Féria, José Luis Gómez, Solveig Nordlund, Carlos Fernando, Dominique Ducos, Miguel Guilherme, Bruno Bravo. No cinema participou em filmes de João Botelho, João Canijo, Jorge Silva Melo, Raoul Ruiz, Wim Wenders, Manoel de Oliveira. Dirigiu vários espectáculos, nomeadamente com textos de Samuel Beckett, Nathalie Sarraute, Robert Pinget e Almeida Faria.

 

Versão Manuel Resende
Encenação Diogo Dória
Assistente de encenação Elsa Bruxelas
Cenografia Elsa Bruxelas
Desenho de luz Horácio Fernandes
Figurinos Paulo Mosqueteiro
Direcção Musical João Lucas
Percussão Paulo Morais e João Dória
Dança ritual Bruno Cochat
Construção Vítor Duarte e Carlos Lopes
Com Diogo Dória (Etéocles), Pedro Jorge (Mensageiro), Andreia Estrada,Beatriz Martins, Raquel Matos, Sabina Delgado, Susana Madeira e Tânia Dinis (Coro)

Uma co-produção Culturgest e Festival de Almada
Espectáculo integrado no Festival de Almada 2007

 

Seven against Thebes is the only surviving play from a tetralogy by the earliest of Athens’ great tragic playwrights, Aeschylus. The hero Eteocles’ actions take place against a background of fear, Greek tragedy here expressing suffering rather than action. Eteocles confronts the gods, and affirms his freedom despite the curse hanging over his family.

opmc
© 2010 Culturgest