facebook
Loading
Música · Domingo 4 de Maio de 2008
11h00 · Grande Auditório· Duração 1h00

Grupo de Música Contemporânea
de Lisboa
Concerto comentado por João Paulo Santos


Performance multimédia do Jogo Projectado II (1981), de Clotilde Rosa, na Fundação Calouste Gulbenkian.

Folha de Sala (pdf)

Classificação: M/6

Os três compositores presentes neste concerto estão ligados à fundação e actividade do Grupo de Música Contemporânea de Lisboa. No entanto, as obras apresentam características muito diversas bem típicas de cada uma das personalidades dos seus autores.
Momento I é revelador da preocupação constante de Constança Capdeville de aliar o teatro à música, ou melhor, de revelar a teatralidade que se encontra latente em toda a obra musical, em toda a actuação de um músico. Nesta obra são explorados aspectos relacionados com a manipulação da noção de tempo, operada pelos instrumentistas, mas também e sobretudo pelo maestro.
Por seu lado, Jorge Peixinho em Leves véus velam realizou um trabalho de decomposição de texto que já se encontra, aliás, no poema de Fernando Pessoa em que a peça se baseia. Aqui a palavra é fragmentada e utilizada para criar sonoridades, ambientes que acabam por ilustrar sonoramente o ambiente nocturno do texto.
Por fim, O caminho de Orfeu é das três obras deste concerto a mais “pura”. É, na realidade, um pequeno concerto para harpa. A mítica figura de Orfeu, do seu canto, é evocada harmoniosamente pelo som do instrumento solista.
João Paulo Santos

 

Direcção João Paulo Santos

Programa

Constança Capdeville
Momento I

Jorge Peixinho
Leves véus velam

Clotilde Rosa
O caminho de Orfeu

 

This concert’s three composers have been instrumental in founding and running the Grupo de Música Contemporânea de Lisboa. But the works presented here are as diverse as their composers’ own personalities.
Momento I displays Constança Capdeville’s aim of allying theatre with music, or rather of revealing the theatricality of all music. It explores how the notion of time is manipulated.
In Leves véus velam, Jorge Peixinho has broken down a poem by Fernando Pessoa to use as his inspiration. He fractures and employs words to create sounds and atmosphere.
Finally, O caminho de Orfeu is the “purest” of these three works: a short composition for harp. The solo instrument is used to evoke the singing of Orpheus.

apoios
© 2010 Culturgest