facebook
Loading
Teatro · Segunda 28 e terça 29 de Abril de 2008
21h30 · Pequeno Auditório· Duração 55 min.

Libração
De Lluïsa Cunillé. Um espectáculo d’As Boas Raparigas…
Encenação de Cristina Carvalhal


© As Boas Raparigas…

Folha de Sala (pdf)

Classificação: M/12

Libração significa “movimento como que de oscilação que um corpo, ligeiramente perturbado no seu equilíbrio, efectua até recuperar pouco a pouco”.
Libração é o “encontro entre duas mulheres num parque de uma cidade durante três noites de lua cheia. Faz frio, talvez seja Inverno ou finais de Outono” (Lluïsa Cunillé).
O tempo: meia-noite em ponto. O espaço: um parque onde tudo é de ferro. No parque, mobiliário urbano onde se encontram imagens de infância: cavalos que chiam, placas que proíbem deixar os cães à solta, a ronda da polícia vigiando ciclicamente todas as presenças reais... As palavras, as estratégias, os reconhecimentos, as memórias, as necessidades, o filho de uma e os cães da outra...
Libração de Lluïsa Cunillé: ao longo de três noites, duas mulheres em redor de uma descoberta.

O “caso Cunillé”começa a converter-se num alarmante sintoma da situação actual do teatro catalão (e do espanhol, dado o bilinguismo da sua produção). Enquanto os nossos melhores encenadores empregam o seu talento a modernizar Shakespeare, Moliére, Goldoni… e os teatros públicos improvisam dramaturgos autóctones e importam musicais estrangeiros, os textos de Lluïsa Cunillé surgem implacavelmente, salvo raras excepções, como testemunhos de uma impressionante vocação dramatúrgica que nenhuma indiferença ambiental poderá apagar.
José Sanchis Sinisterra

Uma dramaturgia minimal sobre o medo e o desejo do outro, que assenta como uma luva na geração que teria 30 anos no ano 2000 e que, com a passagem dos anos, parece destinada a procurar a fé e a esperança em visitas nocturnas a parques infantis. Nada a fazer? Solitárias, as mulheres desta peça esperaram tanto por algum ser imaginário que as salvasse que deixaram de saber reconhecer as pessoas e as coisas reais.
Jorge Louraço Figueira
suplemento “Ípsilon” do Público (balanço do ano 2007)

 

Autor Lluïsa Cunillé
Tradução Carla Miranda e Cristina Carvalhal
Dramaturgia As Boas Raparigas… e Cristina Carvalhal
Encenação Cristina Carvalhal
Com Carla Miranda e Maria do Céu Ribeiro
Voz off Maria Fernanda Barros
Desenho de luz Jorge Ribeiro
Cenografia e adereços Cláudia Armanda
Figurinos Catarina Barros
Sonoplastia Luís Aly
Uma produção da companhia As Boas Raparigas…
O espectáculo estreou a 27 de Setembro de 2007 no Estúdio Zero, Porto

 

Libração means the oscillating movement a body makes after its balance has been disturbed. Libração is “the meeting between two women in a city park during three full-moon nights. It’s cold, it’s perhaps winter or late autumn”. Lluïsa Cunillé is a leading Catalan playwright. This show by the company As Boas Raparigas… opened in Oporto in 2007 and was picked as one of the year’s best by the newspaper Público.

© 2010 Culturgest