facebook
Loading
arquivo > 2011 > 2010 > 2009 > 2008 > 2007
Teatro · Sexta 16, sábado 17 e Domingo 18 de Janeiro de 2009
21h30 (dias 16 e 17) 17h00 (dia 18) · Palco Grande Auditório· Duração 2h15

The Sound and the Fury
(April Seventh, 1928)
O Som e a Fúria (Sete de Abril, 1928)
Um espectáculo de Elevator Repair Service


© Ariana Smart Truman
Folha de Sala (pdf)

Classificação: M/12

Espectáculo em inglês, com legendas em português

Em 2007, a companhia Elevator Repair Service apresentou na Culturgest Gatz, uma encenação-maratona do texto integral de O Grande Gatsby de Fitzgerald, que foi considerada o melhor espectáculo do ano pelos críticos do Público e do Expresso. O grupo, que nas suas produções combina comédia slapstick, cenários de alta e baixa tecno­logia, textos literários ou found-texts, objectos encontrados e mobília deitada fora, assim como um estilo coreográfico altamente desenvolvido, tem-se concentrado ultimamente em textos literários e regressa agora com a estreia europeia de The Sound and the Fury (April Seventh, 1928), a partir de Faulkner.
Escrito em 1929, este texto conta a história do declínio da família Compson do condado ficcional de Yoknapatawpha, no Mississípi. Este clã outrora nobre, descendendo de um herói da Guerra Civil, torna-se vítima de muitas das limitações que Faulkner acreditava serem os problemas do Sul reconstruído – racismo, ganância, egoísmo – mostrando assim como os ideais e a vida do velho Sul não se podiam manter ou preservar com facilidade depois da Guerra Civil. Sete de Abril, 1928, a primeira parte do romance, é contada do ponto de vista de Benjy Compson, que é mudo e tem a idade mental de uma criança.

William Faulkner é conhecido pela complexidade estrutural da sua escrita. A primeira parte de O Som e a Fúria é uma das passagens mais temíveis da literatura americana e isto atraiu-nos. Ao entrar na cabeça de Benjy – que descreve como “verdadeiramente inocente” – Faulkner escolheu saltar no tempo de um acontecimento para outro (por vezes galgando trinta anos para trás) sem transição e, por vezes, sem qualquer pista sobre o que está a fazer. Pôr isto em cena pareceu-nos um enorme desafio.
John Collins

 

Texto William Faulkner
Criação Elevator Repair Service
Encenação John Collins
Cenografia David Zinn
Figurinos Colleen Werthmann
Desenho de luz Mark Barton
Desenho de som Matt Tierney
Projecções Eva von Schweinitz
Direcção de cena Sarah C. Hughes
Director de produção Brian Garber
Coreografia Elementos da Companhia
Produtora Ariana Smart Truman
Com Mike Iveson, Vin Knight, Aaron Landsman, April Matthis, Annie McNamara, Randolph Curtis Rand, Greig Sargeant, Kate Scelsa, Kaneza Schaal, Susie Sokol, Tory Vazquez, Ben Williams
Estreia 15 de Abril de 2008 no New York Theatre Workhop

 

After Gatz, a marathon performance of Fitzgerald’s The Great Gatsby presented at Culturgest in 2007, ERS returns with Faulkner’s The Sound and the Fury (April Seventh, 1928). Director John Collins says “William Faulkner is notorious for structural complexity in his writing. The first section of The Sound and The Fury is one of the more daunting passages in American literature and this was a draw for us. To get inside the head of Benjy – whom he describes as ‘truly innocent’ – Faulkner chose to leap from one event in time to another (jumping as far as thirty years into the past) seamlessly and, sometimes, without any hints as to what he’s up to. Bringing this to the stage struck us as a great challenge.”

© 2010 Culturgest