facebook
Loading
arquivo > 2015 > 2014 > 2013 > 2012 > 2011 > 2010 > 2009 > 2008 > 2007
Em nome das artes ou
em nome dos públicos?
3E – equipas, ética e erro:
reflectindo sobre alguns conceitos da mediação cultural
destaque
CONFERÊNCIA INTERNACIONAL
TER 13, QUA 14, QUI 15
DE DEZEMBRO
Pequeno Auditório e outros espaços da Culturgest
Das 10h às 18h
15€ por dia · Lotação limitada Inscrição prévia obrigatória
M12
Programa (pdf)
Ficha de inscrição (pdf)
A inscrição requer confirmação, por escrito, da nossa parte. Por favor, aguarde mensagem de confirmação.
Informações
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.

De que modo os museus e os centros culturais estão a lidar com as exigências e as necessidades dos seus públicos? A emancipação dos públicos é verdadeiramente promovida ou é sobre a falta dela que se constrói a mediação cultural na actualidade? Que grau de partilha e de participação é solicitado aos públicos dos museus? É a interpretação do público uma forma de completar o objecto artístico? E onde começa a prática artística com comunidades e termina a mediação cultural? É o mediador cultural um agente isento e transparente ou a sua presença condiciona a interpretação dos objectos? Partilha com os seus públicos dúvidas honestas ou, na maior parte das vezes, já tem as respostas?

Sem deixar de indagar mas sem respostas à vista, convidámos artistas, filósofos, críticos e profissionais de museus de diferentes países para, em conjunto com o público, reflectirem sobre a importância e a validade da mediação cultural nos espaços museológicos da actualidade. Para mote de discussão de cada dia elegemos os conceitos de equipa, ética e erro.

Às equipas nos museus devemos o reconhecimento de serem a alma comunicante da maior parte das instituições. À ética devemos a reflexão constante sobre as formas de captação e comunicação com os públicos. Ao erro devemos o privilégio da aprendizagem e do crescimento constantes.

E porque acreditamos na riqueza da comunicação sem rede, optámos por correr o risco de apresentar três dias preenchidos com debates abertos ao público, mesas redondas com um só porta-voz, speed meetings e workshops orientados por artistas.

How do museums deal with their audiences’ needs? How much are they called upon to participate and share? Where does artistic practice with communities begin and where does cultural mediation end? Are cultural mediators impartial agents or does their presence affect the interpretation of the objects? We have invited artists, philosophers, art critics and museum professionals to discuss for three days (in debates, round table discussions, speed meetings and workshops) on the importance of cultural mediation in present-day museums.
© 2011 Culturgest