Loading
arquivo > 2015 > 2014 > 2013 > 2012 > 2011 > 2010 > 2009 > 2008 > 2007
VÍDEO
Jos de Gruyter e Harald Thys
Projeção de filmes Film screenings
destaque
Untitled (Les énigmes de Saarlouis), 2012
SÁB 14 DE ABRIL
Pequeno Auditório
18h · Entrada gratuita
Levantamento de senha de acesso
1 hora antes da sessão, no limite dos lugares disponíveis.
Máximo: 2 senhas por pessoa.
A senha permite a entrada gratuita nas exposições no próprio dia, entre as 17h e as 18h.
Informações
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.

Das Loch, 2010 [O Buraco]

Vídeo, cor, som, 27’

 

Untitled (Les énigmes de Saarlouis), 2012

Vídeo, cor, som, 18’

 

No final de 2009, Jos de Gruyter (Geel, Bélgica, 1965) e Harald Thys (Wilrijk, Bélgica, 1966) realizaram uma exposição na Culturgest, em Lisboa, que se articulava em torno de dois filmes recentes – Der Shlamm von Branst e The Frigate (A Fragata) – e punha estes em relação, respetivamente, com um conjunto de esculturas em barro e uma pequena série de fotografias a preto e branco. Dois anos e meio volvidos, eles apresentam na galeria de exposições da Culturgest do Porto uma extensa série de fotografias a cores (ver texto aqui). Aproveitando o regresso desta dupla de artistas, são projetados os seus dois filmes mais recentes. Gruyter e Thys encenam em muitos dos seus filmes um teatro do absurdo em que a condição humana é retratada de forma impiedosa: cenas narrativas esquemáticas, que se desenrolam em espaços fechados, sem comunicação com o mundo exterior, onde personagens estranhas e caricaturais se comportam maquinalmente ou surgem alienadas num estado de mutismo e imobilidade, entregues a circunstâncias que não compreendem e a forças que não controlam. As personagens dos dois filmes agora exibidos já não são representadas pelo elenco habitual a que os artistas recorrem (uma trupe constituída sobretudo por familiares e amigos), mas por manequins rudimentares animados por uma voz off.

Towards the end of 2009, Jos de Gruyter (Geel, Belgium, 1965) and Harald Thys (Wilrijk, Belgium, 1966) held an exhibition at Culturgest, in Lisbon, centred around two recent films – Der Shlamm von Branst and The Frigate – in which a relationship was established between each of these and a group of clay sculptures and a small series of black-and-white photographs, respectively. Two years later, at Culturgest’s exhibition space in Porto, the two artists now present an extensive series of colour photographs (see text here). Taking advantage of the return of this duo of artists, their two most recent films will also be screened in Lisbon. In many of their films, Gruyter and Thys stage a theatre of the absurd, in which the human condition is mercilessly depicted: schematic narrative scenes unfold in enclosed spaces where strange, caricature-like characters behave mechanically or appear alienated in a state of immobility and mutism, caught up in circumstances they do not understand and subject to forces they do not control. The characters in these two new films are not played by the usual cast of their films (a troupe consisting above all of family and friends), but by rudimentary mannequins animated by a voice off screen.

Carbonozero
© 2012 Culturgest