Loading
arquivo > 2015 > 2014 > 2013 > 2012 > 2011 > 2010 > 2009 > 2008 > 2007
MÚSICA FESTIVAL RESCALDO
Tropa Macaca
Pedro Lopes
Pop Dell’Arte
destaque
© Tiago Ribeiro
SEX 15 DE FEVEREIRO
Pequeno Auditório e Cafetaria
21h30 · Dur.: 2h15 c/ intervalo
6€ (bilhete único diário)
Será realizado um desconto de 40% na compra dos 4 bilhetes para os concertos que têm lugar na Culturgest (dias 8, 9, 14 e 15 de fevereiro).
M3
Informações
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.
Tropa Macaca – 21h30 · Dur.: 45 min.
Guitarra André Abel Teclados Joana da Conceição
A impossível catalogação da música da Tropa Macaca é resultado de um percurso de tal forma pessoal, de uma procura tão pura, tão focada, de uma diluição tão total das possíveis fontes, referências e inspirações, que nada resta senão o próprio objeto, o próprio som. Com o novíssimo álbum Ectoplasma acabado de sair pela Software, editora de Daniel Lopatin (Oneohtrix Point Forever), e já depois da edição de Sensação de Princípio pela mítica Siltbreeze, o duo, originário de Santo Tirso mas radicado em Lisboa, dá mais um passo rumo a uma nova possibilidade de música, onde a organicidade do método casa com uma estética cujos pontos de referência habituais são eminentemente mecanicistas.
A inclassificabilidade não é, por si só, garantia de mérito artístico ou de um lugar no trono dos visionários, mas a verdade é que André Abel e Joana da Conceição são, sem qualquer sombra de dúvida, viajantes únicos pelo milagre do som.
tropamacaca.com
Pedro Lopes – 22h25 · Dur.: 30 min.
Gira-discos, discos de prensagem caseira e agulhas modificadas, objetos vários Pedro Lopes
(Este evento terá lugar na cafetaria da Culturgest)
Pedro Lopes é um músico português residente em Berlim, com um vasto currículo de colaborações com nomes como Carlos Zíngaro, Reinhold Friedl, Dj Sniff, Pedro Sousa ou Miguel Sá, entre muitos outros, num percurso enriquecido ainda por um envolvimento com a radio art que o levou já a produzir peças para a Transmediale de Berlim, a Fundação de Serralves ou o Goethe Institut.
Fazendo do seu instrumento, o gira-discos, veículo para um discurso de experimentação de tom analógico, com recurso a amplificadores, discos de prensagem caseira, agulhas modificadas e objetos percussivos, Pedro Lopes é um dos mais interessantes e inovadores representantes da música exploratória nacional.
soundcloud.com/sonoscopia/41-161769-8-584025
Pop Dell’Arte – 23h · Dur. 45 min.
Voz João Peste Guitarra Paulo Monteiro Baixo José Pedro Moura
Teclados
Eduardo Vinhas Bateria Nuno Castêdo
Há pouco, muito pouco, de não-dito acerca dos Pop Dell’Arte: responsáveis, talvez máximos, pelo rasgar das avenidas do pensamento livre na música em Portugal, ainda hoje percorridas de alto a baixo (tantos de nós crescemos a ouvir a expressão “tipo Pop Dell’Arte” como quase sinónimo para experimentalismo, estranheza, liberdade), a sua importância e influência não é certamente comensurável ou adequadamente expressa por palavras, mas antes pelo crescente fervilhar criativo a que felizmente assistimos ainda pelo país. Sem eles, não existiria talvez RESCALDO, não existiria este panorama de criação livre que orgulhosamente celebramos – existiria talvez outro panorama, se realidades paralelas sobrevivessem – mas o facto é que a música de João Peste e respetivos companheiros de viajem instaurou, ela mesma, uma capacidade de criação à margem do real do quotidiano e do mainstream, para além do plano da mera possibilidade. Tendo lançado o último trabalho de originais, Contra Mundum, em 2010, a própria permanência da sua necessidade de criar, evoluir e partilhar é facto incontornável na contemporaneidade nacional.
popdellarte.posterous.com
Carbonozero
© 2013 Culturgest