Loading
arquivo > 2015 > 2014 > 2013 > 2012 > 2011 > 2010 > 2009 > 2008 > 2007
MÚSICA
Lula Pena
Ciclo de concertos comissariado por Filho Único
destaque
© Cláudia Varejão (pormenor)
SEX 26 DE ABRIL
Culturgest Porto
22h · Duração aprox. 50 min.
5€ (preço único)
M3
Informações
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.
Voz e guitarra clássica Lula Pena

Lula Pena (n. 1974) regressou à esfera pública nacional com a edição do seu disco Troubadour em 2010, depois de cerca de doze anos de relativa discrição, desde o período do primeiro disco Phados. Troubadour, e os seus concertos desde então assim o têm confirmado, tornou claro o estádio admirável de transformação “em autora (de) alguém que nasceu como intérprete”, como afiançava a editora Mbari à altura do lançamento do novo registo. A intuição e prazer da citação que tinha sido sua marca processual emblemática, parece ter mutado para um plano maturado de identidade autoral insofismável. No fundo, todos aqueles anos distantes da arena pública foram anos também da evolução de um estilo próprio, oferecendo ecos do fado, da bossa, da canção francesa ou do tango, de toda e qualquer maresia geográfica que se lhe aprece matéria para o seu trabalho que parece partir do “pasmo essencial que tem uma criança se, ao nascer, reparasse que nascera deveras”, como dizia Pessoa. A sua gestão do silêncio é esmagadoramente singular, o domínio personalizado da voz com uma guitarra tocante, tendo-se vindo a tornar cada vez mais um tesouro partilhado de todos os lusófonos de coração, e que a tem levado justamente no último trio de anos a expandir a sua atividade ao vivo para fora de portas, na Europa e no Brasil.

Sabemos que no passado estudou desenho, parou, tocou nas ruas em Barcelona, partiu para Bruxelas, onde atuou em bares e em clubes de jazz. Tocou na Alemanha, França, Itália, Holanda e para o Rei Mohammed V em Marrocos, depois da Orquestra Real e com Rabih Abhou-Khalil por perto. Faz-lhe confusão a velocidade que considera ser “uma coisa que não é humana” e que o seu é um “trabalho que vem de dentro para fora – [o de] tentar perceber a tecnologia humana”. Cada concerto seu prima pela partilha única com o público, uma comunhão ritual da descoberta da criação, de momentos e reações que existam exclusivamente numa ocasião. Nada menos nobre que isto podemos esperar nesta noite do seu regresso há muito querido à cidade Invicta.

Filho Único

After twelve years of relative discretion since the release of her first album Phados, Lula Pena returned with Troubadour in 2010, having clearly transformed herself from a remarkable performer into a fully-fledged songwriter. All those years out of the limelight helped her develop her own style, with elements of fado, bossa nova, chanson française and tango. She uses silence in a unique manner and has her own distinctive and refined technique as a vocalist and guitarist. Each of her concerts is a unique experience, shared with her audience in a ritual discovery of the act of creation, and of once-in-a-lifetime moments and reactions at each of her live performances.
Carbonozero
© 2013 Culturgest