arquivo > 2015 > 2014 > 2013 > 2012 > 2011 > 2010 > 2009 > 2008 > 2007
JAZZ
Akira Sakata e
Giovanni Di Domenico
Ciclo “Isto é Jazz?” · Comissário: Pedro Costa
destaque
© Scott McMillan
SEX 10 DE JANEIRO
Pequeno Auditório
21h30 · Duração: 1h
5€ (preço único)
M3
Informações
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.
Saxofone alto, clarinete, percussão, voz Akira Sakata
Piano Giovanni Di Domenico

É um encontro de gerações, este que reúne o japonês Akira Sakata e o italiano Giovanni Di Domenico, nascidos respetivamente em 1945 e 1977. E se não há propriamente um fosso a separá-los que lhes torne impossível o diálogo, é porque a linguagem que utilizam – a da improvisação – é uma epidérmica resposta a um entorno social, político, económico e cultural que ganhou dimensões planetárias, nivelando por baixo as diferenças.

O nome Akira Sakata tem dimensão de lenda: foi um pioneiro do free jazz no Japão e um dos primeiros daquele país a mostrar no exterior que havia uma forma nipónica específica de tocar o jazz da liberdade. A sua associação a Manfred Schoof e a presença nos principais festivais europeus nos anos 1970 internacionalizaram-no definitivamente. Depois veio o jazz de fusão, muito graças à sua associação com Bill Laswell, que o aproximou do rock e da chamada world music.

Quando a sua atividade paralela como biólogo marinho parecia tê-lo absorvido, voltou às lides no dealbar do terceiro milénio com novas parcerias, a exemplo das firmadas com Jim O’Rourke e Chris Corsano, músicos com investimentos idiomáticos plurais e menor idade, que lhe permitiam apostar na renovação da sua própria linguagem. Finalmente, encontrou pelo caminho o ainda mais jovem Giovanni Di Domenico.

Este representa bem um novo tipo de improvisador que integra uma imensa variedade de influências num estilo sincrético, e daí que o encontremos habitualmente com instrumentistas de semelhante perfil como Nate Wooley, Arve Henriksen e Tetuzi Akiyama. O duo do pianista transalpino com um peso pesado do jazz significa, pois, um desafio muito especial, mas o certo é que não se coloca na sombra de Akira Sakata – este é um encontro entre iguais, e por isso o disco que gravaram juntos intitula-se Iruman, palavra japonesa derivada do Português “irmão”.

Two generations are brought together by Akira Sakata and Giovanni Di Domenico, born in 1945 and 1977 respectively. The language they both use – improvisation – is their apparent response to our current globalised social, political, economic and cultural world that tends to trivialise our differences. The legendary Akira Sakata pioneered free jazz in Japan, gaining an international projection in the 1970s, and later moving on to fusion, rock and world music. His work with the Italian pianist Giovanni Di Domenico is a meeting of equals that has resulted in the album Iruman (Brother).
© 2014 Culturgest