arquivo > 2015 > 2014 > 2013 > 2012 > 2011 > 2010 > 2009 > 2008 > 2007
CONFERÊNCIAS
Economia: uma ciência que transforma o mundo?
por José Castro Caldas
destaque
TERÇAS-FEIRAS
4, 11, 18 E 25 DE FEVEREIRO
Pequeno Auditório
18h30 · Entrada gratuita
Levantamento de senha de acesso 30 minutos antes do início de cada sessão, no limite dos lugares disponíveis. Máximo: 2 senhas por pessoa.
Este ciclo de conferências
será transmitido neste site.

Flyers (pdf)
4 de fevereiro
11 de fevereiro
18 de fevereiro
25 de fevereiro
Informações
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.

Em julho de 2009, a revista The Economist fazia capa com a pergunta “O que correu mal com a Ciência Economia?” e ilustrava-a com uma imagem de um manual intitulado “Moderna Teoria Económica” a derreter-se sob o efeito das ondas de calor da crise.
A “Moderna Teoria Económica” a que The Economist se referia é uma espécie de engenharia dos mercados. No passado esta engenharia representava apenas uma entre várias correntes do pensamento económico, mas nos últimos trinta anos tornou-se dominante no ensino da disciplina em todo o mundo, passando a ser confundida com a própria Economia. Interrogando-se sobre o que correu mal com a “Moderna Teoria Económica”, The Economist dava expressão à perceção pública de que esta Economia e os economistas eram responsáveis de alguma forma pela crise.
Pode uma ciência social ser responsável por uma crise social? Quando se transforma numa engenharia, pode. A “Moderna Teoria Económica” mais do que compreender o mundo tem participado ativamente na construção desse mundo. Tem-no feito influenciando as políticas e por essa via transformando as instituições, condicionando os comportamentos e modificando os valores.
Cinco anos passados deste número da The Economist a reputação da Economia e dos economistas não se recompôs. No entanto, a sua engenharia continua a ser influente, determinante mesmo das políticas de reparação dos estragos que ela própria originou. É assim porque no mundo que esta engenharia ajudou a construir a economia tende a ser confundida com a natureza.

 

José Castro Caldas é doutorado em Economia. Atualmente é investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES).
Anteriormente foi professor do Departamento de Economia do ISCTE. Os seus principais interesses de investigação atuais incluem a deliberação individual e coletiva, a economia institucionalista e a história da economia.

 

 

4 de fevereiro
Economia: uma filha de pais incógnitos

 

 

 

11 de fevereiro
Os valores da “ciência positiva”

 

 

 

18 de fevereiro
A Economia e a Grande Recessão

 

 

 

25 de fevereiro
Outras Economias

 

In July 2009, the cover of The Economist asked “What went wrong with economics?”, illustrating the question with the picture of a book entitled “Modern Economic Theory” melting under the heat of the crisis. The “Modern Economic Theory” referred to here is a kind of engineering of the markets. In asking this question, The Economist voiced the generally held impression that economics and economists were somehow responsible for the crisis. Five years later, the public still has the same perception, but the engineering continues, playing a part in trying to repair the very damage that it caused.
© 2014 Culturgest