arquivo > 2015 > 2014 > 2013 > 2012 > 2011 > 2010 > 2009 > 2008 > 2007
FOTONOVELO
O Amor que purifica (1969) Trotoário Azul (1970-72)
destaque
QUI 3, SÁB 5 DE ABRIL
Pequeno Auditório
18h30 · Entrada gratuita
Levantamento de senha de acesso 30 minutos antes do início da sessão, no limite dos lugares disponíveis. Máximo: 2 senhas por pessoa.
M12
 
Informações
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.
Realização coletiva René Bertholo, José A. Paradela, Pitum Keil do Amaral, Lourdes Castro, Eduarda e Marcelo Costa, Leonor Bettencourt, João Conceição, Alexandra e Luiz Moreira, Marcela Costa, Jorge Sumares

No verão de 1969, um grupo de amigos, reunidos no Funchal pelas circunstâncias felizes da vida, divertiu-se durante algumas semanas a realizar uma fotonovela, conjugando para tal uma sequência de diapositivos, dois filmes em Super 8 mm, voz reproduzida em fita magnética e duas canções de um disco de vinil. Daí resultou O Amor que purifica, uma paródia das convenções daquele género narrativo muito em voga na época. Um ano mais tarde, a mesma troupe – agora sem Pitum Keil do Amaral e Leonor Bettencourt – aventura-se, com o mesmo espírito, na realização de um filme em 16 mm, Trotoário Azul, insólita rêverie construída através da montagem descontínua de imagens e cenas improvisadas em diversos locais da Ilha da Madeira. Em 2013, estas duas obras improváveis foram ressuscitadas num DVD e transcritas num livro, ambos produzidos e editados pela Porta 33, no Funchal. Depois da sua antestreia na Casa-Museu Frederico de Freitas, no Funchal, e de múltiplas projeções na Porta 33, as versões em DVD destas duas obras são exibidas publicamente em Lisboa e evocadas em conversa com alguns dos cúmplices que participaram na sua realização.

 

 

Qui 3 de abril · 18h30

Projeção de O Amor que purifica (37 min.), seguida de conversa entre Lourdes Castro, Pitum Keil do Amaral e Miguel Wandschneider

 

Sáb 5 de abril · 18h30

Projeção de Trotoário Azul (33 min.), seguida de conversa entre Lourdes Castro, José A. Paradela, José António Câmara e Luiz Moreira

In the summer of 1969, a group of friends who had been brought together in Funchal by a fortunate set of circumstances amused themselves for a few weeks by making a photo-story in which they intertwined a sequence of slides, two Super 8 mm films, a tape-recorded voice and two songs from a vinyl record. This resulted in O Amor que purifica [The Love that purifies], a parody of the conventions of that particular narrative genre, which was highly popular at the time. A year later, the same troupe – now without Pitum Keil do Amaral and Leonor Bettencourt – embarked on yet another venture, with exactly the same spirit, this time making a 16 mm film, Trotoário Azul [Blue “Trotoário”], an unusual rêverie constructed through the discontinuous editing of images and scenes that had been improvised at various places on the island of Madeira. In 2013, these two unlikely works were resuscitated, converted into DVD format and transcribed into book form, both of which were produced and published by Porta 33, in Funchal. Following a premiere at Casa-Museu Frederico de Freitas, in Funchal, and multiple screenings at Porta 33, the DVD versions of these two works are now being given their first public screening in Lisbon, after which they will be evoked in conversation with some of the accomplices who took part in their making.
© 2014 Culturgest