arquivo > 2016 > 2015 > 2014 > 2013 > 2012 > 2011 > 2010 > 2009 > 2008 > 2007
MÚSICA
Amélia com
versos de Amália
Amélia Muge
destaque
© Egle Bazaraite (pormenor)VER IMAGEM
SEX 23 DE JANEIRO
Grande Auditório
21h30 · Duração: 1h15
18€ · Até aos 30 anos: 5€
M6
Informações
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.
Voz, guitarra braguesa, percussão Amélia Muge Guitarras acústicas, elétrica e braguesa António Pinto Violoncelo e voz Catarina Anacleto Clarinetes, saxofones e flauta Daniel Salomé Percussão Ivo Costa Violino, bandolim e voz Manuel Maio Músicos convidados António Quintino (contrabaixo), Carisa Marcelino (acordeão) Direção artística Amélia Muge Direção musical, coprodução José Martins Captação sonora e interação instrumental José Martins Desenho de luz Manuel Mendonça Vídeo imagens e guião Amélia Muge Montagem José Martins Fotografia e projeção de imagem Egle Bazaraite Produção Culturgest/UGURU Apoios SPAutores, Museu do Fado (EGEAC), FGDA, Delta Cafés

"Fiquei deslumbrado. Aquilo era a Amália toda inteira"... Assim descreve Vítor Pavão dos Santos o seu encontro com os versos de Amália. Assim fiquei eu também quando os li. A ideia de Manuela de Freitas para que musicasse parte destes originais ajudou-me a encontrar a forma certa para uma homenagem a Amália, ao fado e aos fadistas. Tantas canções que não teria composto se não fossem eles! Musicar versos de Amália e cantá-los a meu jeito, foi o ponto de partida. Em termos artísticos tive o privilégio de contar com o desmesurado talento e dedicação de três pessoas de exceção: José Mário Branco, com a direção musical, arranjos e composição, ajudou a criar a paisagem sonora (variada e única) para as palavras de Amália; Michales Loukovikas, com as suas composições, abriu horizontes até ao oriente com modos musicais como o Huzzâm e o Sabâ; José Martins, com os seus arranjos em temas meus ligados a um bestiário popular e bem humorístico, ajudou a levar as palavras para um lado mais telúrico e experimental.

Algumas canções roçam o fado. Outras foram beber à tradição rural, às músicas do mundo ou à canção de texto. Outras ainda, são de todo o lado e nenhum, pontuando comicidades e afetos decorrentes do que Amália nos descreve com uma intensidade que só os grandes herdeiros de um património milenar são capazes de transmitir. Este Amélia com versos de Amália ao vivo encontra, na Culturgest, o seu espaço de eleição. Vai ser um encontro de encontros vários, neste palco do mundo, em Lisboa.

Amélia Muge

 

 

Amélia com versos de Amália integrou as listas de melhores discos do ano do Expresso (1.º lugar, lista nacional) e do Público (4.º lugar, lista única, 1.º nacional).

Manuela de Freitas' idea of setting part of Amália's original verses to music helped me find the right way of paying homage to Amália, fado and fado singers. I was privileged to work with three exceptional people: José Mário Branco helped create the varied and unique sound landscape for Amália's words; Michales Loukovikas opened the way to the east with musical modes such as huzzam and saba; and José Martins' arrangements explored the more terrestrial and experimental side of the words. Culturgest is the ideal venue for this live performance of Amélia com versos de Amália. (Amélia Muge)
© 2015 Culturgest