arquivo > 2016 > 2015 > 2014 > 2013 > 2012 > 2011 > 2010 > 2009 > 2008 > 2007
MÚSICA
Orchestre Tout Puissant
Marcel Duchamp
 
destaque
© Pierre Acobas (pormenor)VER IMAGEM
SÁB 20 DE JUNHO
Grande Auditório
21h30 · Duração: 1h
15€ · Até aos 30 anos: 5€
M6
Informações
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.
Contrabaixo Vincent Bertholet Violino e voz Liz Moscarola Bateria Wilf Plum Guitarra Maël Salètes Marimba Aida Dop Trombone Florian Saini Apoios Ville de Genève, Etat de Genève e Pro Helvetia

Tudo começou em novembro de 2006. A Cave 12, uma sala de Genebra dedicada exclusivamente à música dita experimental, deu carta-branca ao contrabaixista francês, radicado na Suíça, Vincent Bertholet. Vincent decidiu formar um grupo de músicos de várias origens e com passados muito diferentes. Wilf Plum, o baterista, veio dum grupo anarco-punk de escoceses radicados em Amesterdão. Liz Moscarola, vocalista (com uma voz suave) e violinista, era animadora de ateliers musicais. Aida Dop, percussionista clássica, veio à banda libertar "a sua relação com a marimba num dilúvio polirrítmico duma batucada". Florian Saini, trombonista, vem do universo punk, e o guitarrista Maël Salètes, do rock independente.

A este grupo heteróclito Bertholet chamou Orchestre Tout Puissant Marcel Duchamp. "Tout Puissant remete para as big bands do ocidente africano, que têm todas este qualificativo. Quanto a Marcel Duchamp, ele foi, na nossa opinião, o primeiro artista punk. Associaram-no muitas vezes ao movimento dada, mas ele próprio recusava todas as categorias. Navegava à sua vontade entre os estilos. Tal como nós." O nome "pode parecer muito pretensioso: na verdade, no entanto, é pura ironia".

O que mais interessa é a extraordinária música que fazem. Nela se aglutinam, com grande liberdade e sem predomínio de egos, os diversos mundos dos diversos músicos. Para descrever o que é inclassificável, tem-se usado expressões como "mosaico pop instintivo", "afro-transe-urbanpunk", "música caleidoscópica duma perfeita coesão". Todos são unânimes em reconhecer uma música alegre que se revela sobretudo ao vivo, no palco. Difícil é ficar sentado na cadeira quando a música, com um lado suave, nos chama para a dança.

Não perca esta ocasião de escutar muito boa música pop, de uma enorme originalidade. Não os conhece, mas acredite em nós. Vale mesmo a pena.

It all began in November 2006 in "Cave 12", an experimental music venue in Geneva, where French bass player Vincent Bertholet decided to form a group of musicians from various origins: Wilf Plum (drums) came from a punk band; Liz Moscarola (vocals and violin) from musical workshops; Aida Dop (percussion) from a classical background; Mathias Forge (trombone) from jazz and improvised music; Maël Salètes (guitar) from independent rock. Christened Orchestre Tout Puissant Marcel Duchamp, they play an extraordinarily happy and infectious form of music that is difficult to classify. Not to be missed.
© 2015 Culturgest