arquivo > 2016 > 2015 > 2014 > 2013 > 2012 > 2011 > 2010 > 2009 > 2008 > 2007
PERFORMANCE
Pedro Diniz Reis
Shibari
destaque
Fotografia © DMF, 2016 (pormenor)VER IMAGEM
QUA 15, QUI 16 DE JUNHO
Galeria 1
21h30 · Duração: 1h
5€ (preço único)
M18
Na quinta-feira 16, a seguir à performance, haverá uma conversa com o artista na Galeria.
Informações
Bilheteira Culturgest
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.
Modelo Gestalta Materiais cordas de Jute japonês e mosquetões

Duas exposições de Pedro Diniz Reis (Lisboa, 1972) na Culturgest – a primeira no outono de 2010, no Porto, Um dicionário, quatro alfabetos, um sistema decimal, a segunda no verão de 2011, em Lisboa, De A a Z – desvendaram, em todas as suas variantes, uma linha de investigação dentro do seu trabalho muito diverso. Utilizando signos linguísticos como matéria abstrata, puramente significante, e aplicando regras predeterminadas de organização desses elementos, o artista realizou um conjunto de composições visuais e/ou sonoras (usando o vídeo, o som e o livro como media) que induzem uma experiência fortemente imersiva. No final de 2003, na sequência de uma série de obras em vídeo relacionadas com o seu interesse pelo tema do fetichismo enquanto expressão e sublimação do desejo, o artista iniciou uma aprendizagem das técnicas do shibari, palavra japonesa para atar, que designa igualmente uma prática muito enraizada na subcultura ligada ao fetichismo e ao sadomasoquismo. A sua aprendizagem do shibari foi feita no Japão com vários mestres, principalmente com Nawashi Akechi Denki Sensei, com quem estudou até ele falecer em 2005, e desde então com o seu principal discípulo, Nawashi Kannam, mas também, desde há mais de dois anos, com Kinbakushi Naka Akira. Pedro Diniz Reis tem vindo a apresentar numerosos espetáculos de shibari no contexto cultural onde essa prática é cultivada. Em 2005, o artista realizou uma belíssima e despojada performance na Galeria Cristina Guerra, em Lisboa, em que o shibari se emancipava dos códigos culturais e estéticos próprios do seu contexto de origem, para ganhar uma extraordinária ressonância enquanto trabalho de escultura e à luz da história do nu na arte ocidental. Pedro Diniz Reis é hoje muito mais experiente e versátil na utilização das técnicas do shibari do que em 2005. A sua performance na Culturgest é um momento raro e que se antevê imperdível.

In late 2003, the artist Pedro Diniz Reis (Lisbon, 1972) embarked on a continuous process of learning the techniques of shibari, the Japanese word for "to tie", which refers to a deep-rooted practice in the subculture linked to fetishism and sado-masochism. Since then and until today, his apprenticeship in shibari has been undertaken in Japan with a variety of masters. Over the years, Pedro Diniz Reis has presented countless shibari shows in the cultural context in which this practice is cultivated. In 2005, the artist gave a most beautiful and refined performance at the Galeria Cristina Guerra, in Lisbon, in which shibari was freed from its associated cultural and aesthetic codes, gaining extraordinary resonance as a work of sculpture and in relation to the history of the nude in western art. His performance at Culturgest is a rare moment not to miss.
© 2016 Culturgest