arquivo > 2016 > 2015 > 2014 > 2013 > 2012 > 2011 > 2010 > 2009 > 2008 > 2007
CONFERÊNCIAS
Sete Círculos
Os Limites da Cidade
destaque
© Duarte Belo (pormenor)VER IMAGEM
QUI 8, 15 SETEMBRO
Pequeno Auditório
18h30 · Entrada gratuita
Levantamento de senha de acesso 30 minutos antes de cada sessão, no limite dos lugares disponíveis. Máximo: 2 senhas por pessoa.
Informações
Bilheteira Culturgest
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.

Por isso não trataremos aqui senão dos limites que no volver dos séculos tem apresentado a Cidade de Lisboa, da banda da terra. 1

 

O espaço urbano transformou-se num espaço heterogéneo, sem limites físicos precisos, aterritorial, como diz Francesc Muñoz, ou desligado da sua própria geografia, como defende o arquiteto americano Michael Sorkin. Seja pela distância de onde nos chegam os produtos que consumimos, seja pelo alcance dos nossos movimentos pendulares quotidianos, ou ainda pela velocidade de comunicação com o outro lado do mundo à distância de um click, no contexto contemporâneo, a escala e complexidade das nossas ações torna difícil a leitura e a perceção dos limites destes espaços. E com isso, perdemos «a noção de como a cidade é fruto de uma situação e está presa ao "em-torno" por feixes de tubos, fios, valas e caminhos por onde circulam os fluxos de matéria e energia que sustêm o metabolismo urbano.»2

Desenvolvendo-se ao longo de duas sessões, a conferência pretende questionar os limites da cidade contemporânea a partir de uma nova leitura sobre a paisagem e o território de Lisboa. Qual a ideia de centro? Onde está o limite entre espaço rural e espaço urbano? São algumas das questões que os autores do Projecto Sete Círculos, Pedro Campos Costa e Eduardo Costa Pinto, procuram investigar e colocar em diálogo, com a participação dos oradores José Sarmento de Matos, Gonçalo Byrne, Francesc Muñoz, Mário Alves, Olivia Bina, Eduardo Brito-Henriques, e moderação de João Nunes e João Ferrão.

 

1. Silva, A. V. (1941) Os Limites de Lisboa. Lisboa: Minerva, p. 3.

2. Brito-Henriques, E. (2016) "Sem Limites", in Costa, P. C., Pinto, E. C. (Ed.) Sete Círculos. Porto: Circo de Ideias, p. 216.

 

 

8 de setembro

18h30 Apresentação do Projecto Sete Círculos, Eduardo Costa Pinto
18h40 Os Passos em Volta, José Sarmento de Matos
19h A Circunvalação Dissolvida, Gonçalo Byrne
19h20 Sintaxe Urbana, Francesc Muñoz
19h40 Debate (moderado por João Nunes)

 

 

 

15 de setembro

18h30 Apresentação do Projecto Sete Círculos, Pedro Campos Costa

18h40 Circulando por Círculos Imperfeitos, Mário Alves

19h A voz de uma natureza domesticada e mais alguns artefactos, Olivia Bina

19h20 Sem limites: a metrópole híbrida, Eduardo Brito-Henriques

19h40 Debate

 

The urban space has become heterogeneous, with no precise physical limits, aterritorial (Francesc Muñoz), or disconnected from its own geography (Michael Sorkin). The products we consume come from far away, our everyday movements reach far and wide, we communicate with the other side of the world at the speed of a click, the scale and complexity of our actions make it hard to perceive the limits of these spaces. We have lost our notion of the city. In two sessions, this conference will question the limits of the contemporary city, by taking a new look at the landscape and territory of Lisbon.
© 2016 Culturgest