arquivo > 2016 > 2015 > 2014 > 2013 > 2012 > 2011 > 2010 > 2009 > 2008 > 2007
EXPOSIÇÃO
Lourdes Castro
Os meus Álbuns de Família
um a um
DE 29 OUTUBRO A 8 JANEIRO 2017
Galeria 1
2€ Bilhete único para as exposições · Entrada gratuita aos domingos
 
Informações
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.
destaque
Terceiro volume do Álbum de Família, Paris, 1966 · Fotografia: Filipe Braga, © Fundação de Serralves, Porto
Curadoria Miguel Wandschneider
O trabalho de Lourdes Castro (Funchal, 1930) é bem conhecido em Portugal, tendo sido objeto de duas exposições retrospetivas, a primeira na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, em 1992, a segunda – partilhada com Manuel Zimbro, seu companheiro de vida e de trabalho – no Museu de Arte Contemporânea de Serralves, no Porto, em 2010. No ano passado, novamente na Fundação Calouste Gulbenkian, foi possível descobrir os muitos livros que a artista produziu desde a década de 1950. É chegada a altura de mergulhar no seu Álbum de Família, um conjunto de cadernos, atualmente em número de trinta e seis, que desde 1963 a artista tem vindo a preencher, sem comentários, com imagens e textos das mais diversas origens, tomando como leitmotiv aquele que tem sido o motivo de quase todo o seu trabalho desde aquela altura: a sombra. Nesta exposição o Álbum de Família vai ser desfolhado página a página.
The work of Lourdes Castro (Funchal, 1930) is well-known in Portugal, where she has enjoyed two major retrospective exhibitions, the first at the Calouste Gulbenkian Foundation in Lisbon, in 1992, and the second, which she shared with her life and work partner Manuel Zimbro, at the Serralves Museum of Contemporary Art in Porto, in 2010. Last year offered us the chance to discover the many books that the artist has produced since the 1950s, once again at the Calouste Gulbenkian Foundation. The time has now come to browse through her Family Album, a set of books, currently numbering thirty-six, which since 1963 the artist has been filling with images and texts from the most diverse origins, taking as her leitmotif what has been the theme of almost all her work since then: the shadow. At this exhibition, her Family Album will be opened page by page.
© 2016 Culturgest