LEITURAS
Comunidade de Leitores
Entre dois Mundos por Helena Vasconcelos
destaque
John Henri Fuseli. O Pesadelo, 1781 · Detroit Institute of Arts (pormenor)VER IMAGEM
QUI DE 12 JANEIRO
A 23 MARÇO
Sala 1 · 18h30
Inscrições na bilheteira da Culturgest, pelo telefone 21 790 51 55 ou pelo
e-mail culturgest.bilheteira@cgd.pt Lotação: 40 participantes.
 
Informações
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.

O estranho, o fantástico, o bizarro poderão estar afastados do nosso quotidiano, neste mundo pragmático e realista em que (quase) todos vivemos. Considerado como uma categoria bem definida, principalmente no Cinema, o Terror, embora muito popular, está normalmente contido dentro das fronteiras de um género específico que, em Literatura, remete para o que foi cunhado de "gótico". Mas os nossos sentidos não desdenham de um bom calafrio, de um susto inesperado que façam emergir a nossa atávica ligação ao "folclore" (folk-lore). Embora os fantasmas e outras aparições funestas tenham sido maioritariamente relegadas para os jogos de computador e para as séries televisivas, a história da Literatura, principalmente a partir do Romantismo, continua a explorar um certo tipo de imaginário, aquilo a que Sigmund Freud chamou de "unheimlich", ou seja, o que não é familiar, o que se encontra "entre dois mundos", entre a luz e a sombra, entre o racional e o irracional, entre o que é explicável e o que é inexplicável. Neste ciclo de leituras, tentaremos perceber em que espaço nos movimentamos quando deparamos com situações tão estranhas como o fanatismo religioso no recente romance de Hurley, as perturbações da infância e adolescência em James, a estranheza de "ser diferente" na sulista O'Connor, os truques mágicos e satíricos de Sena, a hilariante e elegante paródia fantasmagórica de Wilde ou o exemplo do "gótico" sofisticado de Brontë. Um ciclo que não é uma viagem no comboio fantasma mas que promete brumas, catacumbas, ranger de portas, correntes de ar maléficas, aparições, donzelas em perigo e um ou outro arrepio de desconforto.

Helena Vasconcelos

 

 

12 de janeiro
Santuário, Andrew Michael Hurley, ed. Bertrand

 

26 de janeiro
O Aperto do Parafuso (ou O Calafrio, ed. Europa-América),
Henry James, ed. Sistema Solar

 

9 de fevereiro
O Físico Prodigioso, Jorge de Sena, Guimarães editora

 

23 de fevereiro
O Céu é dos Violentos, Flannery O'Connor, ed. Relógio D'Água

 

9 de março
O Fantasma de Canterville, Oscar Wilde, Porto Editora

 

23 de março
Jane Eyre, Charlotte Brontë, ed. Relógio D'Água

 

The strange, the fantastic and the bizarre may have disappeared from our modern-day pragmatic and realistic world. Horror is now normally categorised as part of the "Gothic" genre, but we still enjoy the spine-chilling feeling of an unexpected fright. Though ghosts and similar apparitions have largely been relegated to computer games and television series, literature continues to explore what Sigmund Freud classified as "unheimlich" – the unfamiliar. In this cycle, we explore what lies "between two worlds", between the rational and the irrational, between the explicable and the inexplicable. (Helena Vasconcelos)
© 2017 Culturgest