CONFERÊNCIA
O Bem nas coisas
Emanuele Coccia
destaque
Emanuele Coccia (pormenor)VER IMAGEM
QUI 12 JANEIRO
Pequeno Auditório
18h30 · Entrada gratuita
Levantamento de senha de acesso 30 minutos antes do início da sessão, no limite dos lugares disponíveis. Máximo: 2 senhas por pessoa.
Conferência em inglês,
sem tradução.

Flyer (pdf)
Informações
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.
apoio

apoio
Com a participação de Emanuele Coccia, Pedro A.H. Paixão,
Jorge Leandro Rosa e António Guerreiro
Organização Fundação Carmona e Costa e editora Documenta

O amor pelas coisas abre o reino da mercadoria. Esse tipo de amor é exibido em todas as direções do espaço público das nossas cidades, basta-nos «abrir os olhos para que todo o espaço entre o nosso corpo e o horizonte seja uma única e infinita exposição de mercadorias». Ou talvez seja o inverso, talvez sejam as mercadorias – entidades misteriosas, como lembrava Marx – que abrem novas possibilidades para a expressão do amor, sendo a publicidade a sua proclamação e o seu conto moral. Só somos, só amamos, porque as coisas determinam já uma possibilidade de ser e de amar.

É recolocando a questão das mercadorias, da «reificação bem-‑sucedida» que cada uma é, que Emanuele Coccia nos traz uma reflexão sobre a relação do mundo contemporâneo com as coisas que se apresentam sob a forma de mercadoria. Poderíamos dizer que, tendencialmente, tudo aparece como mercadoria e que nesta se apresenta a forma moral das nossas sociedades.

A partir de elementos diversos da nossa herança cultural, Coccia não nos traz apenas uma perspetiva original sobre o cruzamento entre discurso moral e publicidade: ele consegue renovar o discurso ensaístico contemporâneo, propondo-se escrever a partir de um afastamento daqueles mestres da suspeita que durante décadas regeram o exercício público da inteligência. Trata-se, afinal, de retomar pelo discurso algo que é próprio do bricoleur.

Assistiremos à conferência de lançamento do livro O Bem nas coisas. A publicidade como discurso moral de Emanuele Coccia, seguida de uma conversa entre o autor e Pedro A.H. Paixão (editor), Jorge Leandro Rosa (editor e tradutor) e António Guerreiro.

 

Emanuele Coccia é Professor Auxiliar na École des Hautes Études en Sciences Sociales, em Paris. Das suas publicações, traduzidas em diversas línguas, destacam-se A vida sensível (2010), Le bien dans les choses (2013) e La vie des plantes (2016). Foi coeditor com Giorgio Agamben da antologia monumental Angeli. Ebraismo Cristianesimo Islam (2009).

 

O Bem nas coisas. A publicidade como discurso moral de Emanuele Coccia, é o IV volume da coleção Disciplina sem nome dirigida por Pedro A.H. Paixão para a editora Documenta; um projeto editorial sobre pensamento e teoria de desenho da Fundação Carmona e Costa.

 

 

Emanuele Coccia, from the École des Hautes Études en Sciences Sociales in Paris, brings us a splendid reflection on our contemporary world's relationship with the things presented to us as merchandise. Taking very different elements from our cultural heritage, he brings us an original view on the crossover between moral discourse and advertising, successfully renewing the discourse of the contemporary essay, while distancing himself from the intelligentsia and offering us something of the bricoleur.
© 2017 Culturgest