JAZZ
Luís Lopes
Guillotine
Ciclo "Isto é Jazz?" · Comissário: Pedro Costa
destaque
© Rodrigo Amado (pormenor)VER IMAGEM
TER 27 JUNHO
Pequeno Auditório
21h30 · Duração: 1h
6€ (preço único)
M6
Informações e reservas
Bilheteira Culturgest
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Ticketline
Reservas e informações:
1820 (24 horas)
Pontos de venda: Agências Abreu, Galeria Comercial Campo Pequeno, Casino Lisboa, C.C. Dolce Vita, El Corte Inglés, Fnac, Megarede, Worten e www.ticketline.sapo.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.
Guitarra Luís Lopes Violoncelo Valentin Ceccaldi Bateria Andreas Wildhagen

Luís Lopes está de regresso com mais um trio de carácter transnacional. Depois do projeto formado com os norte-‑americanos Adam Lane e Igal Foni e do Lisbon-Berlin Trio, partilhado com Christian Lillinger e Robert Landferman, em ambos os casos aliando um contrabaixo e uma bateria à guitarra, Lopes convida desta vez o francês Valentin Ceccaldi, um dos mais conceituados e prolíficos violoncelistas da nova geração europeia, e o jovem baterista norueguês Andreas Wildhagen, conhecido pelas suas prestações na Large Unit de Paal Nilssen-Love e no trio Momentum. A música é composta por Lopes, mas a escrita serve a improvisação dos três instrumentistas.

Um dos mais importantes nomes da música criativa portuguesa dos nossos dias, o percurso de Luís Lopes tem-se dividido por múltiplos projetos de características diferentes, com destaque para o Humanization 4tet (com Rodrigo Amado e os texanos Aaron e Stefan Gonzalez) ou o mais recente Garden (com Ricardo Jacinto e Bruno Parrinha), para as intervenções solitárias Noise Solo ou Love Song, para os duos com Jean-Luc Guionnet, Fred Lonberg-holm e Julien Desprez, ou ainda como membro do Lisbon Freedom Unit. A música de Lopes caracteriza-se pela sua voz única, livre de espartilhos e de condicionamentos formais. Guillotine inspira-se numa ideia de complementaridade entre o individual e o colectivo, dando espaço a cada um mas favorecendo uma entrega de grupo.

Luís Lopes has been involved in multiple projects: Lisbon Freedom Unit, Humanization 4tet (with Rodrigo Amado, Aaron and Stefan Gonzalez), Garden (with Ricardo Jacinto and Bruno Parrinha), Noise Solo and Love Song, or playing in duos with Jean-Luc Guionnet, Fred Lonberg-holm and Julien Desprez. Now he is joined by French cellist Valentin Ceccaldi and Norwegian drummer Andreas Wildhagen in yet another transnational trio, playing his own music, free of any formal constraints and inviting improvisation. Guillotine is based on an idea of complementarity between the individual and the universal.
© 2017 Culturgest