MÚSICA
Seckou Keita
destaque
© Andy Morgan (pormenor)VER IMAGEM
QUI 30 NOVEMBRO
Grande Auditório
21h30 · Duração: 1h30
18€ · Jovens até 30 anos e desempregados: 5€
M6
Informações e reservas
Bilheteira Culturgest
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Ticketline
Reservas e informações:
1820 (24 horas)
Pontos de venda: Agências Abreu, Galeria Comercial Campo Pequeno, Casino Lisboa, C.C. Dolce Vita, El Corte Inglés, Fnac, Megarede, Worten e www.ticketline.sapo.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.
Corá Seckou Keita

Conta-se que a primeira corá foi oferecida pelos jinis, espíritos da savana, ao griot Jali Madi. Quando ele morreu, os seus companheiros, homenageando-o, retiraram uma corda às 22 do instrumento. A maioria das corás tem 21 cordas. Mas no Sul do Senegal, onde a "harpa africana" foi entregue pelos espíritos, usam-se 22 cordas. Foi com um instrumento destes que Seckou Keita gravou 22 Strings, o álbum que está na base do concerto desta noite.

Keita quis gravar um CD a solo que mergulhasse nas raízes da música do seu povo, usando o instrumento original. Muitos músicos da África Ocidental têm utilizado a corá em incursões por músicas muito diversas, do rap ao jazz, do pop à fusão, acústicas ou elétricas. Depois de ter gravado, com imenso êxito, um álbum com a harpista galesa Catrin Finch (apresentado em concerto na Fundação Gulbenkian), neste CD preocupa-se em responder a duas perguntas: quem sou eu? Quem somos nós? Existe, hoje em dia, uma forte tendência para erradicar a diferença. Seckou Keita, reage a esse movimento, realça a diferença que há em si e no seu povo respondendo às duas perguntas primitivas.

Pelo lado do pai, Keita descende do rei fundador do Império Mali. Pelo da mãe, de uma antiquíssima linhagem de muito reputados griots. Educado por ela e pela família dela, desde muito pequeno que foi treinado, em treino duro, para ser griot e dominar a técnica, os segredos, as músicas centenárias da corá e do povo mandinga. Hoje faz parte da elite dos tocadores deste instrumento, a par de músicos como Toumani Diabaté.

22 Strings é um álbum mágico, de grande contenção e espiritualidade, unanimemente aclamado pela crítica. O concerto desta noite decerto será ainda melhor do que o disco. Porque é no contacto com as pessoas, no instante de tocar para os outros, que os grandes músicos revelam toda a sua arte.

Usually, the kora (African harp) has 21 strings, but in southern Senegal it has 22. Seckou Keita used this instrument to record 22 Strings, seeking to rediscover the roots of his people's music. After the success of the album he made with Welsh harpist Catrin Finch, he tries here to answer two questions: who am I? who are we? and reacts against the modern tendency to mix the two, highlighting the difference between himself and his people. Tonight's concert promises to be even better than the magical 22 Strings, because it is by playing for others that the great musicians reveal all their art.
© 2017 Culturgest