DANÇA
Cavalos Selvagens
de Bruno Alexandre
destaque
© Ana Teresa AscensãoVER IMAGEM
SEX 19, SÁB 20 JANEIRO
Palco do Grande Auditorio
21h30 · Duração: 1h
12€ · Jovens até 30 anos e desempregados: 5€
M12
Informações
Bilheteira Culturgest
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Ticketline
Reservas e informações:
1820 (24 horas)
Pontos de venda: Agências Abreu, Galeria Comercial Campo Pequeno, Casino Lisboa, C.C. Dolce Vita, El Corte Inglés, Fnac, Megarede, Worten e www.ticketline.sapo.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.
apoio
Criação Bruno Alexandre Cocriação e interpretação André de Campos, Bruno Alves, Francisco Rolo Música e sonoplastia Miguel Lucas Mendes Desenho de luz e espaço cénico Cárin Geada Olhar exterior David Marques Registo vídeo e teaser Bruno Canas Design gráfico Ana Teresa Ascensão Fotografia de Cena Bruno Simão Produção executiva Mónica Talina Gestão financeira Patrícia Soares Residências Companhia Olga Roriz, EIRA/Teatro da Voz, Musibéria, Gafanha da Nazaré/Fábrica das Ideias e Polo Cultural Gaivotas | Boavista Produção Escarpa Fictícia Associação Cultural Coprodução Culturgest Apoio Ministério da Cultura/Direção-Geral das Artes Apoio à divulgação Antena 2 Agradecimentos Gil Mendo, Joana Vieira Lino, Pedro Santiago Cal e Carla Ribeiro

Percebi que as pessoas estafam os cavalos e os homens, até  o cavalo ou o homem parar e cair como pedras. Eu e o cavalo decidimos que poderiam chicotear-nos quanto quisessem, mas que só faríamos o que nos apetecesse, porque queremos viver.

Vaslav Nijinsky

 

Cavalos Selvagens parte dos Cadernos de Vaslav Nijinsky como dispositivo literário, para construir uma ficção acerca do mesmo, recorrendo às ideias de património coreográfico, insubmissão e tumulto. Esta criação terá como premissa fundamental a pesquisa em torno de uma ideia de sabotagem coreográfica como modus operandi de um processo que irá começar por procurar o inusitado e o aparentemente impossível. A tentativa será traçar (mapear) inevitabilidades de um real coreográfico (inspirado no património dos Ballets Russes) que se misturam continuamente com a ficção, redefinindo paradigmas e questionando se o que fazemos está realmente a acontecer.

Bruno Alexandre

Cavalos Selvagens takes Nijinsky’s diary as a literary device and uses it to construct a fiction, resorting to the ideas of choreographic heritage, subversion and turmoil. The choreographic heritage bequeathed by Nijinsky is directly related with the Ballets Russes and the ideas of innovation, rupture and alienation, the links between visual and performing arts and a new attitude towards the dancer’s presence.

Bruno Alexandre

© 2017 Culturgest