JAZZ
Ricardo Toscano
 
destaque
SÁB 27 JANEIRO
Grande Auditorio
21h30 · Duração: 1h15
14€ · Jovens até 30 anos e desempregados: 5€
M6
Informação
Bilheteira Culturgest
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Ticketline
Reservas e informações:
1820 (24 horas)
Pontos de venda: Agências Abreu, Galeria Comercial Campo Pequeno, Casino Lisboa, C.C. Dolce Vita, El Corte Inglés, Fnac, Megarede, Worten e www.ticketline.sapo.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.
Saxofone alto Ricardo Toscano Piano João Pedro Coelho
Contrabaixo Romeu Tristão Bateria João Pereira

Na história universal do jazz, não há país que não conte estórias de jovens músicos que quando começaram a tocar já eram maiores do que a vida que tinham vivido: Lee Morgan, Scott LaFaro, Clifford Brown, Nils-Henning Orsted Pedersen, Barney Wilen, Billie Holiday, Tony Williams. Por cá, tivemos como caso mais paradigmático, Bernardo Sassetti e o fenómeno coletivo dos irmãos Moreiras nos anos 80. E temos hoje Ricardo Toscano.

Ricardo Toscano começou num dos berços mais populares: as bandas filarmónicas. O seu primeiro instrumento foi o clarinete (clássico) e, mais tarde, quando entrou para a Escola de Jazz Luiz Villas-Boas do Hot Clube, dedicou-se ao saxofone (alto). Aos 17 anos foi admitido na ESML em “regime especial de sobredotado”.

A primeira impressão do primeiro encontro com Ricardo Toscano é a incredulidade: tocar assim, com tão impressionante domínio expressivo do instrumento; tocar assim, com um tão raro conhecimento da gramática e sintaxe jazzísticas; tocar assim, em sucessivos e aparentes inesgotáveis saltos de maturidade a cada dia que passa. Na base de tudo está, à vista de todos os ouvidos, uma extraordinária e rara intuição, a que há que juntar incontáveis horas a ouvir e a tocar, sozinho e com os outros, que é, sempre foi e será, a melhor forma de crescer no jazz. E a verdade é que Toscano leva já muitas milhas de voo entre os maiores e os seus pares de geração.

Diz o ditado que, no mundo do jazz como nos outros, há gente que tem o futuro nas mãos. Sorte a nossa, o futuro tem o Toscano nas mãos.

Adaptação do texto de António Curvelo, outubro 2015

Ricardo Toscano started out playing clarinet in a brass band, later joining the Luiz Villas-Boas Jazz School at the Hot Clube and dedicating himself to the alto sax. At 17, he was admitted to the Music School of Lisbon as a “gifted” student. One’s first impression of Ricardo Toscano is one of complete incredulity: how can anyone play with such impressive mastery of the instrument, with such a rare understanding of jazz’s grammar and syntax, showing such tremendous leaps of maturity every day? At the root of everything is his extraordinary intuition, promising a very bright future for us all.

© 2017 Culturgest