CINEMA
Michael Snow
O Som da Neve The Sound of Snow
destaque
Wavelength, 1967 (pormenor)VER IMAGEM
DE DOM 4 MARÇO A TER 10 ABRIL
Pequeno Auditorio
4€ (preço único)
M12
Programa de filmes integrado na exposição O Som da Neve, de Michael Snow, na Galeria 1.
Informações
Bilheteira Culturgest
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Tripadvisor
Mais opiniões sobre Culturgest.

Como parte integrante da exposição O Som da Neve, serão apresentados, no Pequeno Auditório, quatro filmes de Michael Snow, obras importantes no seu percurso e marcos fundamentais do cinema experimental: desde a pedra de toque que é Wavelength, a movimentação de câmara de Back and Forth, passando pelo enorme ensaio cinematográfico que é Rameau’s Nephew... até So Is This (um filme que é, literalmente, um texto), é toda a relação do cinema com a criação artística contemporânea que é reequacionada.

 

Domingo, 4 março, 16h · Terça, 20 março, 21h15

Wavelength, 1967, 16mm, cor, som, 42'

So Is This, 1982, 16mm, cor, som, 43'

 

Terça, 6 março, 21h15 · Domingo, 8 abril, 16h

Wavelength, 1967, 16mm, cor, som, 42'

Back and Forth, 1968-69, 16mm, cor, som, 52'

 

Domingo, 18 março, 16h · Terça, 10 abril, 18h30

Rameau's Nephew, 1974, 16mm, cor, som, 4h30 com intervalo

 

 

Wavelength, 1967

 

O mais relevante filme de 1968… Um filme muito belo e importante.

Jonas Mekas, Village Voice

 

Wavelength não tem precedentes na pureza do seu confronto com a essência do cinema: as relações entre ilusão e facto, espaço e tempo, sujeito e objeto. É o primeiro filme pós-Warhol e pós-minimal; um dos poucos filmes que abraçam a ordem conceptual que ocupam a escultura e pintura modernas. Foi certeiramente descrito como o "triunfo do cinema contemplativo".

Gene Youngblood, L.A. Free Press, 1968

 

Wavelength, de Michael Snow, 45 minutos puros e duros que se tornarão no "The Birth of a Nation" do cinema underground, é um documento enxuto de uma sala na qual uma meia-dúzia de negócios existiram e foram à bancarrota. Apesar de toda a sua sofisticação (e é poderoso pelas invenções espaço-temporal-sonora), é uma singularmente direta, descomplicada e radicalmente realista forma de filmar 3 paredes, um teto e um chão. É provavelmente o mais rigorosamente composto filme da atualidade.

Manny Farber, Art Forum

 

 

So Is This, 1982

 

Este filme é texto filmado. O filme diz: "Isto é o título deste filme. Também isto." Este filme é uma troca entre o autor e o espectador. É leitura comunitária. No meu trabalho, poderia ser descrito como um filho de One Second in Montreal e Rameau's Nephew.

Michael Snow

 

Um filme delicioso, cheio de humor e afirmativo, mas também um filme estranho: um filme-texto, uma silenciosa conversa a cores e a preto e branco, um documento autorreflexivo e uma construção ficcional, um não-filme que subverte as implicações de títulos como The Language of Cinema e How to Read a Film... por um cineasta de génio subtil.

Michael Ethan Brodzky, Arts Canada, 1982

 

 

Back and Forth, 1968-69

 

Back and Forth não só expandiu as possibilidades da moldura cinemática como postulada em Wavelength, como de facto expandiu os parâmetros da narrativa fílmica tal como a conhecíamos e expandiu-a mesmo para lá de Godard em filmes como Weekend. Em Back and Forth Snow foi capaz de fundir completamente forma e conteúdo, sem no entanto abolir os elementos tradicionais de caracterização e representação.

Gene Youngblood, L.A. Free Press

 

 

Rameau's Nephew by Diderot (Thanx to Dennis Young) by Wilma Schoen, 1974

 

Argumento e realização de Michael Snow. Inicialmente filmado em Toronto e Nova Iorque pelo próprio, Keith Lock, Babette Mangolte, David York e outros.

 

Comecei a fazer o script deste filme em fevereiro de 1972 e continuei a escrever, filmar, misturar e editar até setembro de 1974. Algumas ideias nele presentes datam de 1966, quando reconheci em mim a ambição de fazer um verdadeiro Filme Falado, ou seja, fiel à sua descrição, chega ao seu conteúdo a partir das simultaneidades entre discurso gravado e imagem; é construído a partir das verdadeiras unidades de um filme falado – a sílaba e o frame. Todas as possíveis relações imagem/som centradas em pessoas e discurso geram as relações filme/audiência: um vasto espectro de possibilidades emocionais, a experiência de ver/ouvir este filme. "Discurso", "Linguagem", "Cultura" – a sua fonte, a sua natureza, provam (?) que, neste caso, uma palavra vale 1000 imagens.

Michael Snow

 

Até Rameau's Nephew... ninguém exibiu um filme que lidasse tão determinantemente com o espectro de problemas percetivos levantados pelo cinema sonoro.

M. Keller, Chicago Film Centre

As part of The Sound of Snow exhibition, four lms by Michael Snow will be shown in the Small Auditorium. These films are not only important elements in the artist’s own development, but are also regarded as fundamental milestones in experimental cinema: ranging from his cornerstone film Wavelength to the camera movement of Back and Forth, and from the enormous cinematic essay of Rameau’s Nephew to So Is This (a film that is, literally, a text), these films propose an entirely new understanding of the relationship between cinema and contemporary artistic creation.

© 2017 Culturgest