EXPOSIÇÃO
Michael Biberstein
 
DE 19 MAIO A 9 SETEMBRO
Inauguração:
sexta-feira, 18 de maio, 22h
Galeria 1 e Galeria 2
4€ · Entrada gratuita aos domingos
Durante a exposição será realizado um conjunto de diálogos com a obra de Michael Biberstein:
Delfim Sardo
6 junho, 18h
Julião Sarmento
19 junho, 18h
Nuno Crespo (nova data)
4 julho, 18h
Norberto Lobo
14 julho, 17h30
Fernando Bello
17 julho, 18h

Visitas aos sábados
19 maio, 12h com Delfim Sardo
9 e 23 junho, 7 e 21 julho, 16h30 com Ana Gonçalves

Visitas à hora de almoço
5 junho com Delfim Sardo
22 maio, 19 junho e 3 julho com Ana Gonçalves
13h

Visitas para grupos
Marcações: 21 761 90 78
culturgest.servicoeducativo@cgd.pt

Jornal de exposição (pdf)
Informações
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Curadoria Delfim Sardo
Por motivos de força maior, o encontro com Fernando Bello foi alterado para o dia 17 de julho às 18h.

Michael Biberstein (Solothurn, 1948 – Alandroal, 2013) foi um artista suíço-americano que viveu mais de três décadas em Portugal. Com um percurso iniciado pela arte conceptual, destacando a filosofia da linguagem e o positivismo lógico, a sua obra incidiu, até ao início da década de 1980, sobre a decomposição dos processos da pintura, bem como a topologia do espaço expositivo. A partir de 1982, no entanto, esse interesse pela espacialidade fá-lo iniciar um percurso pela teoria da paisagem, desenvolvendo uma abordagem da pintura na qual a tradição romântica se cruza com o paisagismo de alguma pintura oriental.

As suas enormes telas líquidas, entrecruzadas com planos monocromáticos negros que interrompem o fluxo da visão, revelam um pensamento conceptual preciso sobre a escala da pintura, a questão da representação, a fenomenologia da perceção e, sobretudo, sobre a temporalidade da fruição artística.

A exposição que a Culturgest apresenta é a primeira retrospetiva do trabalho de Michael Biberstein realizada em Portugal desde a exposição apresentada na Fundação Calouste Gulbenkian em 1995. Organizada de forma não-cronológica e centrada sobre os temas que motivaram o artista (a linguagem da pintura, a espacialidade e a escala, a relação com a paisagem como dispositivo histórico), a exposição espalha-se pelas duas galerias da Culturgest, apresentando desenhos, pintura e escultura. Trata-se da maior exposição dedicada à obra de Michael Biberstein, prematuramente desaparecido num momento particularmente intenso do seu processo criativo.

Durante o período da exposição serão organizados diálogos com a obra de Biberstein e Julião Sarmento, Fernando Bello, Norberto Lobo e Nuno Crespo, em datas a anunciar.

Michael Biberstein was a Swiss-American artist who lived in Portugal for more than three decades. Having started out as a conceptual artist, who paid close attention to the philosophy of language and logical positivism, until the 1980s his work was concerned with the decay of the processes of painting, as well as the topology of the exhibition space.

This exhibition is the first retrospective to be held of the work that Michael Biberstein produced in Portugal since 1995. Organised in a non-chronological fashion and centred upon the themes that motivated the artist (the language of painting, spatiality and scale, the relationship with landscape as a historical device), it spreads over two galleries, presenting drawings, painting and sculpture. It is the largest exhibition ever devoted to the work of Biberstein, who disappeared prematurely at a particularly intense moment in his creative process.

© 2018 Culturgest