Circuit des Yeux

Circuit des Yeux

-io

Circuit des Yeux

-io

A morte, mais uma vez, como símbolo de mudança e renascimento. E Haley Fohr vivenciou-a de muito perto, com o desaparecimento de um amigo que a atirou violentamente para o isolamento. Nessa imobilidade, deixou a música de lado, cortando com uma relação de vida apenas interrompida quando uma depressão a atingiu na adolescência. Foi com o piano e o órgão que encontrou as sólidas fundações para se erguer, decidindo, então, compor sobre alegria. Mas a pandemia não poupou ninguém e Haley viu-se encerrada num mundo dentro de outro ao qual chamou -io: um local onde tudo está a acabar a todo o tempo. A partir daqui, apareceram nas suas letras os buracos negros e a gravidade como metáforas da morte, mas apareceu igualmente uma orquestra servindo a sua trovejadora e impressionante voz. Haley atirou a sua dor para o Espaço onde se expandiu, originando um campo de possibilidades para criar o seu mais impressionante conjunto de canções da sua carreira. Das ruínas da destruição, algo nasceu, e -io, depois de a salvar, existe agora para nos deslumbrar.

Circuit des Yeux - "Vanishing"
© Evan Jenkins.

19 OUT 2022
QUA 21:00

Comprar Bilhetes
Auditório Emílio Rui Vilar
16€ (descontos)
M/6

Apoio

Antena 3Rádio Futura
Partilhar Facebook / Twitter