© Maria Manuel. Inauguração Contra a Abstracção no Centro de Arte Oliva, São João da Madeira. Ver Exposição.
© Maria Manuel. Inauguração Contra a Abstracção no Centro de Arte Oliva, São João da Madeira. Ver Exposição.
© Maria Manuel. Inauguração Contra a Abstracção no Centro de Arte Oliva, São João da Madeira. Ver Exposição.

Os primeiros passos dados para a constituição de um acervo de arte na Caixa Geral de Depósitos remontam a 1983, com as aquisições decorrentes de um conjunto de orientações da sua Administração. Passada uma década, após uma análise ao acervo até aí reunido, bem como às diversas coleções de arte públicas e institucionais existentes em Portugal, passam a privilegiar-se, entre outros critérios, a produção artística posterior à década de 1980, sem deixar de se manter uma atenção à oportunidade de inclusão de obras anteriores, de artistas cuja consagração tenha ocorrido nos anos 60 e 70.

Na viragem para o ano 2000, o âmbito colecionista integra um sentido mais vasto da expressão da ‘lusofonia’: para além da arte portuguesa, passa a dar-se uma atenção especial à arte contemporânea produzida no Brasil, Moçambique, Angola e Cabo Verde. E após 2004, as aquisições procuram uma compreensão e contextualização de carreira, com mais obras de um mesmo artista a serem reunidas na Coleção.

A partir de 2006, é atribuída à Culturgest a responsabilidade pelo estudo, gestão, divulgação e conservação das cerca de 1800 obras de arte da Coleção da CGD, incluindo pintura, escultura, desenho, fotografia, vídeo, instalação e gravura.

As obras da Coleção aqui apresentadas organizam-se por destaques de acordo com a atualidade, nomeadamente obras emprestadas para exposições em Portugal ou no estrangeiro, obras incluídas em exposições da Culturgest, ou obras em processos de restauro.

Partilhar Facebook / Twitter