ÂNGELA FERREIRA

DALABA: SOL D’EXIL

Curadoria: Delfim Sardo

O trabalho de Ângela Ferreira (Moçambique, 1958) parte frequentemente de episódios históricos ligados ao colonialismo, à sua falência e aos seus traumas. Neste caso, da cantora e ativista Miriam Makeba (1932–2006), figura relevante na luta contra o apartheid na África do Sul. A primeira mulher negra a discursar nas Nações Unidas, foi impedida de regressar à África do Sul em 1960, e aos Estados Unidos da América em 1968, após o seu casamento com Stokely Carmichael, líder do partido Panteras Negras. Esta exposição inspira-se na casa na Guiné Conacri onde Makeba e Carmichael viveram exilados entre 1968–1983, convertendo em peças escultóricas alguns dos elementos arquitetónicos da moradia de planta circular, quase um protótipo da relação entre a arquitetura modernista e africana e, sobretudo, um lugar simbólico do exílio e da condição apátrida.

Este trabalho integra o ciclo Reação em Cadeia, uma colaboração entre a Culturgest e a Fidelidade Arte que propõe aos artistas participantes o convite ao artista que lhes sucede nas duas galerias (Lisboa e Porto), pressupondo uma estreita adequação do projeto aos espaços. Ângela Ferreira é a primeira artista convidada, a quem sucederá Jimmie Durham (E.U.A., 1940).

1 JUN
– 1 SET 2019

Culturgest Porto
Entrada gratuita

Inauguração

31 MAI 22:00

Parceria

Fidelidade
Partilhar Facebook / Twitter