Este evento já decorreu.

Alexander Hawkins

© Francesca Patella.

Comissariado: Pedro Costa

Por motivos de doença, a cantora Sofia Jernberg não irá atuar esta noite. O pianista Alexander Hawkins dará um concerto a solo.

O duo Musho (palavra em amárico, a língua oficial da Etiópia, aplicada para referir uma canção triste) junta num projeto de características sui generisuma cantora sueca de ascendência etíope com percurso no jazz e na música erudita contemporânea, Sofia Jernberg, e um pianista e organista britânico de formação clássica e atividade nos meios do jazz criativo e da improvisação livre, Alexander Hawkins. Melodias etíopes da tradição judia, muito diretas e imediatas, são o mote para o desenvolvimento de explorações abstratas com foco na improvisação.

O projeto é de gestação recente, tendo surgido a público no festival Bimhuis, em Amesterdão, no ano de 2016, mas as referências de ambos na música da Etiópia vinham de trás. No caso de Jernberg muito naturalmente, completadas pelos estudos que fez com o mestre Hailu Mergia, mas também pelo lado de Hawkins, um antigo discípulo de Mulatu Astakte. Daí resulta uma música de contornos invulgares e especialmente amiga do ouvido que agora temos também por cá a oportunidade de conhecer.

08 JUN 2018
SEX 21:30

Pequeno Auditório
Preço único 6€
Duração 1h
M/6

O duo Musho (palavra em amárico, a língua oficial da Etiópia, aplicada para referir uma canção triste) junta num projeto de características sui generisuma cantora sueca de ascendência etíope com percurso no jazz e na música erudita contemporânea, Sofia Jernberg, e um pianista e organista britânico de formação clássica e atividade nos meios do jazz criativo e da improvisação livre, Alexander Hawkins. Melodias etíopes da tradição judia, muito diretas e imediatas, são o mote para o desenvolvimento de explorações abstratas com foco na improvisação.

O projeto é de gestação recente, tendo surgido a público no festival Bimhuis, em Amesterdão, no ano de 2016, mas as referências de ambos na música da Etiópia vinham de trás. No caso de Jernberg muito naturalmente, completadas pelos estudos que fez com o mestre Hailu Mergia, mas também pelo lado de Hawkins, um antigo discípulo de Mulatu Astakte. Daí resulta uma música de contornos invulgares e especialmente amiga do ouvido que agora temos também por cá a oportunidade de conhecer.

Piano

Alexander Hawkins

Partilhar Facebook / Twitter