Box sized DIE featuring Holocausto Canibal

João Onofre
© João Onofre. Box sized DIE featuring..., Marlborough Contemporary, Londres, junho 2014.

Em 1962, o artista norte-americano Tony Smith realizou uma das primeiras esculturas minimais: um cubo com 1,83m em aço intitulado Die (Morre). O título resulta de um jogo de palavras: a dimensão do cubo corresponde à profundidade de uma sepultura no jargão norte-americano (6 pés). Partindo desta obra icónica da arte da segunda metade do século XX, João Onofre criou uma escultura com as mesmas características exteriores da obra de Smith. Contudo, o seu interior é uma sala insonorizada, equipada para receber os instrumentos de uma banda de death metal. Onofre torna literal a metáfora de Smith e associa uma performance à obra, transformando o cubo num contentor, no qual a banda – neste caso a Holocausto Canibal, do Porto – é encarcerada, tocando até esgotar o oxigénio dentro do cubo. O exercício é levado ao limite e a duração é decidida pelos elementos da banda convidada, numa parábola extrema sobre a ligação entre arte e vida.

A escultura vai ser exibida na entrada da Culturgest durante todo o período da exposição de João Onofre, Once in a lifetime [repeat].

17 MAI 2019
SEX 22:30

Entrada da Culturgest
Gratuito
M/12

AUTORIA

João Onofre

 

INTERPRETAÇÃO

Banda death metal Holocausto Canibal

Once in a Lifetime [Repeat] , a maior antológica de João Onofre na Culturgest
Once in a Lifetime [Repeat] , a maior antológica de João Onofre na Culturgest
Partilhar Facebook / Twitter