Jogo Cruzado #5

Jogo Cruzado #5

Um Encontro Entre Música e Imagem

Jogo Cruzado #5

Um Encontro Entre Música e Imagem

Culturgest, Canal 180 e gnration juntaram‑se para criar o Jogo Cruzado, uma disciplina inventada para chegarmos a um lugar saindo de dois pontos opostos. Das plataformas da TV Cabo e online são mostradas obras audiovisuais originais feitas em sequência artística. Isto é, uma curta‑metragem de um artista visual será entregue a um músico para fazer a sua banda sonora e, ao mesmo tempo, uma composição musical será dada a um cineasta para que crie o seu filme. Todas as imagens e músicas são originais e serão estreadas nestas obras. No quinto volume, Luís Sobreiro faz o filme para uma composição de Coby Sey e a dupla formada por Mariana Dionísio e Leonor Arnaut musica um filme de Felipe Rios Fuentes.

#1 Filme de Luís Sobreiro para uma composição musical de Coby Sey
#2 Banda sonora de Mariana & Leonor para um filme de Felipe Rios Fuentes

Estes conteúdos estarão disponíveis nas plataformas online da Culturgest, do gnration e do Canal180.

© DR.

26 JUN 2024
QUA 21:00

Online
Gratuito
M/6

Jogo Cruzado #5 - Biografias

Luís Sobreiro

Luís Sobreiro é realizador, diretor de fotografia, criativo e programador. Nasceu no Porto em 1990, vive atualmente em Barcelona.

Colaborou com o Canal180, estudou na ESCAC em Barcelona, co-fundou os Concertos que Nunca Existiram, o projeto Língua Franca e o coletivo camaleónico Ovo Estrelado. Estreou e exibiu filmes nos festivais Curtas Vila do Conde (melhor vídeo musical 2021), IndieLisboa e Porto/Post/Doc.

Tem colaborado em vários projectos do artista Jonathan Uliel Saldanha e das editoras de música Lovers & Lollypops e Nyege Nyege.

 

Coby Sey

Coby Sey é compositor, produtor, vocalista, multi-instrumentista e DJ que, depois de anos  a circular pelo no circuito artístico DIY do sudeste de Londres, desenvolveu uma presença distinta como artista e performer.

O trabalho gravado de Coby abrange os domínios da instrumentação ao vivo, produções baseadas em samples e música experimental, fundindo sons reconhecíveis de hip-hop, noise, jazz e grime. No palco, as composições são complementadas com banda, que pode incluir Alpha Maid, Ben Vince, Charlie Hope, CJ Calderwood e Momoko“MettaShiba” Gill.

A abordagem de Coby para compartilhar e fazer música é evidente nas suas colaborações de longo prazo com Mica Levi e Tirzah, bem como com Speakers Corner Quartet, Klein, TYSON, Laurel Halo e muito mais. É também membro fundador do coletivo CURL (com Mica e Brother May) e apresenta um programa de rádio mensal na NTS desde 2015, onde partilha o seu mundo musical atraente e obscuro. 

O tão aguardado álbum de estreia de Coby Sey, ‘Conduit’, foi lançado em setembro de 2022 pela 93 DC.

 

Mariana Dionísio

Mariana Dionísio é uma cantora, improvisadora e compositora que tem questionado o papel da voz na tradição musical e explorado o seu potencial técnico, tímbrico e poético enquanto expressão sonora da palavra. De formação clássica em piano pelo Conservatório Nacional de Lisboa, e uma licenciatura voz Jazz pela Escola Superior de Música de Lisboa, Mariana insere-se sobretudo no panorama jazzístico, experimental e contemporâneo. 

Entre vários projectos que leva a cabo actualmente, mantém uma série de outras colaborações em duo como LUMP com o trompetista João Almeida, TRACAPANGÃ com o baterista João Pereira, ou duo com a flautista Clara Saleiro. Dirige o ensemble vocal LEIDA para o qual compõe e desenvolve o seu trabalho voz-solo.

 

Leonor Arnaut

Leonor Arnaut é cantora e criadora em diferentes contextos musicais. Baseada em Lisboa, explora a voz em canções e improvisações, acompanhando-se muitas vezes por electrónica ou percussões. Após a sua licenciatura em jazz,  dedicou-se à música improvisada, onde teve oportunidade de cruzar o espaço vocal com outras áreas de criação.

Atualmente, procura ser flexível no uso da voz,  interessando-se por diversas sonoridades e estéticas. Colabora com artistas e projetos de vários universos, a destacar Chão Maior (“Drawing Circles”, 2020), Fumo Ninja (“Olhos de Cetim”, 2021), Ricardo Martins (“Breathing Waterline”, 2022), ensemble vocal Leida e Sallim. 

 

Felipe Ríos Fuentes

Felipe Ríos Fuentes [CL] estudou na Escola de Cinema no Chile e quase imediatamente começou a dirigir curtas e a trabalhar com artes visuais. Em 2018 estreou a sua série documental “Gabinete” sobre a arte contemporânea chilena. Em 2019 lançou seu primeiro longa-metragem de ficção “El Hombre del Futuro” no Festival Internacional de Cinema de Karlovy Vary, e também estreou o vídeo “A Ópera Emancipadora” junto da artista Voluspa Jarpa, na Bienal de Veneza.

Atualmente está a trabalhar na pós-produção do seu primeiro documentário “Rummage in the Ruins”.

Partilhar Facebook / Twitter