Saramago, Nobel 1998: Memorial

Orquestra Metropolitana de Lisboa

No dia 10 de dezembro de 1998, ao receber o Prémio Nobel de Literatura, José Saramago discursava diante da Academia Sueca, de reis e rainhas, chefes de estado, outros galardoados e restantes convidados. Nesse momento relembrou que se cumpriam cinquenta anos sobre a assinatura da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Duas décadas depois de o português nascido na Azinhaga discursar em Estocolmo, a Fundação que leva o seu nome recorda agora 70 anos da assinatura da Declaração dos Direitos Humanos e insiste na necessidade da ética da responsabilidade, partilhando a Declaração Universal dos Deveres Humanos, simetria necessária à Carta dos Direitos.

Neste concerto de celebração, a Orquestra Metropolitana de Lisboa, dirigida por Jonas Alber, apresenta Memorial, uma obra em estreia absoluta de António Pinho Vargas baseada na leitura de Ensaio sobre a Cegueira, Ensaio sobre a Lucidez e As Intermitências da Morte de José Saramago. A Sinfonia de câmara, Op. 110a de Shostakovich, em arranjo para orquestra de cordas de Rudolph Barshai, completará o programa.

15 DEZ 2018
SÁB 19:00

Comprar Bilhetes
Grande Auditório
14€ (descontos)
Duração 1h40
M/12

PROGRAMA

António Pinho Vargas, Memorial (estreia); 
D. Shostakovich, Sinfonia de Câmara, Op. 110a (arr. Rudolf Barshai)

Apoio

Fundação SaramagoAntena 2

Maestro

Jonas Alber

Partilhar Facebook / Twitter