Inside Out

Inside Out

Inside Out

Mais uma vez, a Culturgest aproveita o final da temporada e o início do verão para sair dos auditórios e das galerias e ocupar novos espaços. Ao longo de dez dias, são apresentados espetáculos de dança e teatro, um concerto, uma instalação sonora nos espaços à volta do Edifício-Sede da Caixa Geral de Depósitos. É um programa para todas as pessoas com entrada gratuita em todas as atividades.

O programa final será divulgado em breve.

Teatro X

OS POSSESSOS

Manifestos para Depois do Fim do Mundo

Manifestos para Depois do Fim do Mundo é um espetáculo inspirado no trabalho curatorial de Hans Ulrich Obrist. Sete atores interpretam diferentes manifestos, escritos depois de 2000. O espetáculo é apresentado ao público num percurso que passa por diversos espaços dentro e fora do edifício da Culturgest. Cada manifesto é dito de forma intimista, apenas para um pequeno grupo de espectadores, de forma a contrariar a leitura tradicional de um manifesto, que tende a ser panfletária. Está na base deste espetáculo a vontade de transmitir palavras atentas que falam do mundo de hoje, mensagens de esperança ou de denúncia, palavras do mundo e palavras do quotidiano.

Dança X

PACAP Fórum Dança

Novas criações

O PACAP - Programa Avançado de Criação em Artes Performativas é um programa de criação/formação internacional, organizado pelo Fórum Dança. Na sua sexta edição, o PACAP tem a curadoria da dupla Sofia Dias e Vítor Roriz e revisita a Culturgest, depois da memorável participação no projeto Zona Temporária (2019). No contexto do Inside Out, são apresentados alguns projetos individuais desenvolvidos no programa, pensando no espaço público como um lugar de encontro privilegiado.

Música X

MARC RIBOT’S CERAMIC DOG

Olhamos para o currículo de Marc Ribot e uma lista imensa de nomes deixa-nos perplexos: de Tom Waits a David Sylvian, de Caetano Veloso a Marianne Faithfull, dos Sierra Maestra aos Lounge Lizards, e até Dead Combo. O guitarrista norte-americano tem deixado a sua marca na música de meio mundo, fazendo parte integrante da Nova Iorque vanguardista e inquieta que desde há muito agita as convenções do jazz e do rock. É no espaço entre estes dois géneros — ao qual se junta o punk no final da década de 70 — que Ribot se movimenta com uma inquietude eletrizante, trazendo para a sua guitarra a liberdade da improvisação e a energia incontrolável do rock. O seu projeto Ceramic Dog é, por isso, um escape natural para esta irreverência que, com Ches Smith e Shahzad Ismaily, forma há 15 anos um trio de ataque, ferozmente insatisfeito com o estado das coisas. Cinco anos após o celebrado YRU Still Here?, Ribot voltou a escutar a urgência do mundo e escreveu-nos novos manifestos: por isso, nesta noite, num concerto de entrada livre, saímos à rua para ecoarmos a sua raiva.

Artes visuais X

JOÃO PENALVA

Wallenda na Arcada 

Assobiar está para a distração como o rabiscar está para o aborrecimento: são ações que fazemos sem dar conta, que sinalizam uma espécie de consciência ao ralenti. Em 1997, João Penalva subverteu esta relação e fez do assobio o instrumento de uma obra que lhe exigiu toda a atenção e comprometimento: assobiar a totalidade de A Sagração da Primavera, de Igor Stravinsky. Com trinta minutos de duração, esta composição ficou célebre pela impetuosidade rítmica e pela complexidade das suas estruturas harmónica e melódica. O desafio que Penalva se colocou impôs um exercício de alta performatividade, da ordem daqueles que levou a cabo durante a sua carreira de bailarino profissional, nos anos 1970. O resultado é um misto entre a proeza épica e a experiência subtil, entre a ativação de uma memória coletiva e um exemplo extremo da abnegação do intérprete. Para ouvir, durante os dias do Inside Out, ao longo da arcada sul do Edifício-Sede da Caixa Geral de Depósitos.

© Joana Linda.

28 JUN
– 9 JUL 2023

Vários espaços
Partilhar Facebook / Twitter