Konoyo

Tim Hecker + The Konoyo Ensemble

PRIMEIRA PARTE: KARA-LIS COVERDALE

A abertura da temporada da Culturgest é feita com pompa e circunstância, prestando tributo ao novo trabalho de Tim Hecker, depois da celebração, em disco e ao vivo, do seu Love Streams, em 2016. Há uma nova e maravilhosa música no ar e teremos o grande privilégio de a poder ouvir em estreia europeia no nosso Grande Auditório. Este concerto traz, também, uma importante novidade nas atuações ao vivo do músico canadiano: em palco, um ensemble composto por Kara-Lis Coverdale (que abre esta noite e introduz Konoyo), e músicos do ensemble gagaku Tokyo Gakuso revelam onde foi buscar Tim Hecker a matéria-prima e inspiração para Konoyo, criando uma ponte emocional única entre duas culturas e dois tempos distantes. A supermáquina ambiental de Tim Hecker tratou de encurtar distâncias e criou um híbrido majestoso que tanto assume o lado delicado e complexo da instrumentação gagaku da corte japonesa, como cria a abstração total que habitualmente vive dentro do tumulto da sua eletrónica de alta pressão. Não é a primeira vez que Hecker testa os seus limites; mas é a primeira vez que vislumbramos o magnífico corpo da sua existência.

04 OUT 2018
QUI 21:00

Comprar Bilhetes
Grande Auditório
7€ – 14€
M/6

computador, Eletrónica

Tim Hecker

Sintetizador, computador

Kara-Lis Coverdale

HICHIRIKI

Motonori Miura

RYUTEKI

Manami Sato

SHŌ

Fumiya Otonashi

TÉCNICO DE SOM

Chris Fullard

TÉCNICO DE luz

Darren Johnston

25 Anos Culturgest

A Culturgest abre esta temporada no início de outubro, 25 anos depois da sua inauguração. Ao longo deste período, a Culturgest teve um papel significativo no desenvolvimento do tecido artístico que carateriza a cidade de Lisboa. Acompanhou o trabalho de encenadores e coreógrafos, produzindo novas criações e apresentando-as a um público crescente, encomendou obras a artistas visuais, organizando exposições individuais e coletivas, realizou concertos de música, do fado ao jazz, das músicas do mundo à música erudita, sempre com um olhar atento aos desenvolvimentos nacionais e internacionais. Ao longo dos anos, este programa artístico tem sido acompanhado por uma programação de conferências e debates e uma oferta diversificada de oficinas, visitas guiadas, encontros e espetáculos para escolas e famílias.

Para celebrar o seu 25.º aniversário, a Culturgest apresenta um programa com alguns dos nomes de maior destaque na criação e no pensamento contemporâneos. As festividades abrem com a estreia europeia do concerto Konoyo do músico canadiano Tim Hecker, acompanhado por um ensemble de música Gagaku do Japão, e continuam com o delicioso Bal Moderne, que regressa à Culturgest passados dez anos. Para um Mundo sem Fronteiras é o título da palestra que o pensador camaronês Achille Mbembe apresenta, numa das análises mais lúcidas e influentes do atual mundo pós-colonial e multicêntrico. As suas teses encontram ressonâncias no trabalho do artista plástico franco-argelino Kader Attia, que se apresenta na Culturgest com a sua primeira exposição individual em Portugal. Em simultâneo, apresenta-se o trabalho do artista venezuelano, residente em Lisboa, Juan Araujo. Um dos pontos altos do programa 25 anos Culturgest é, sem dúvida, a peça Os Seis Concertos Brandeburgueses, a maior coreografia de sempre de Anne Teresa De Keersmaeker, executada por dezoito bailarinos da companhia Rosas e pelo ensemble de música barroca B’Rock, que interpreta a obra-prima de J.S. Bach ao vivo. Para finalizar, dois projetos participativos: Coletivo de Curadores, um grupo de colaboradores da Caixa Geral de Depósitos vai conceber e montar uma exposição a partir da coleção de arte contemporânea da CGD, com a ajuda da curadora Filipa Oliveira; de seguida a Culturgest convida organizações, escolas e associações locais para criar e manter 25 espaços verdes na zona envolvente do edifício-sede da CGD.

Tim Hecker — This life [Konoyo, 2018]
Tim Hecker — This life [Konoyo, 2018]
Partilhar Facebook / Twitter