Utopia Machim - Resistência no lugar dos tempos

Teatro Griot
© Sofia Berberan.

Que lugar pode ocupar a arte no resgate da memória? Qual a importância do gesto de ontem nas sociedades libertadas? Em parceira com o Teatro GRIOT, que apresenta O Riso dos Necrófagos na Culturgest, organizamos um debate sobre a história esquecida da relação colonial entre Portugal e São Tomé e Príncipe, a partir dos vestígios da Guerra da Trindade e do Massacre de Batepá, ocorrida em 1953. Este episódio é parte do movimento das lutas de libertação onde a rutura entre colonizado e colonizador foi executada por temerários que, munidos de machins (catanas), acreditaram poder provocar um corte sem retorno. Simultaneamente, é ainda objeto de uma amnésia sistemática, persistente na sociedade e na História portuguesa. 

Com a participação de António Pinto Ribeiro (curador e investigador MEMOIRS, Universidade de Coimbra), Inocência Mata (Centro de Estudos Comparatistas,FLUL), Miguel de Barros (CES Amílcar Cabral e Conselho de Pesquisa para as Ciências Sociais em África) e Raquel Lima (Investigadora do CES da Universidade de Coimbra, Faculdade de Economia).

10 FEV 2021
QUA 18:30

Pequeno Auditório
Entrada gratuita*

*com levantamento de bilhete 30 min. antes do início da sessão (sujeito à lotação da sala)

Cofinanciado pelo programa Europa Criativa da União Europeia no âmbito do projeto Create to Connect / Create to Impact

Create do Connect
2021: The show must go on
2021: The show must go on
Partilhar Facebook / Twitter