Jimmie Durham

Acha que minto?
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Jimmie Durham. © Bruno Lopes.
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Renato Cruz Santos.
© Jimmie Durham. © Bruno Lopes.
© Jimmie Durham. © Bruno Lopes.

Curadoria: Delfim Sardo

O percurso de Jimmie Durham (EUA, 1940) cruza a poesia, o ativismo político e a prática artística numa enorme coerência que tem dado novos sentidos à relação entre política e poética.

Acha que minto? retoma outra exposição — História concisa de Portugal — apresentada pelo artista em 1995 na Galeria Módulo, a primeira presença do seu trabalho em Portugal que veio a ser relevante no seu percurso. 

Inspiradas no livro de José Saramago, O ano da morte de Ricardo Reis — que Durham considera um livro de referência para si e para a história do séc. XX —, as obras incluem citações do texto que, dactilografadas ou manuscritas, integram individualmente cada uma das peças, não se constituindo, no entanto, como metáforas ou ilustrações.

Esta exposição recupera um momento importante do seu percurso e, ao mesmo tempo, faz a ponte com o seu trabalho presente, demonstrando a sua aguda atualidade.

Em 2019, Durham venceu o Leão de Ouro na 58.ª Bienal de Veneza.

O projeto Reação em Cadeia é uma colaboração entre a Culturgest e a Fidelidade Arte. Os artistas convidados são implicados na seleção do artista que lhes sucede e os projetos apresentados em versões diferentes no espaço Fidelidade Arte em Lisboa e na Culturgest Porto.

14 SET 2019
– 5 JAN 2020

Culturgest Porto
Entrada gratuita

INAUGURAÇÃO

13 SET SEX 22:00

Quarta-feira a Domingo
10:30-14:00 e 15:00-18:30

Parceria

Fidelidade Arte

Reação em Cadeia

Reação em Cadeia é o título do projeto que resulta da colaboração entre a Fidelidade Arte e a Culturgest, com curadoria de Delfim Sardo. A proposta consiste em implicar os artistas na seleção dos seus pares, que irão suceder-lhes no espaço da Fidelidade Arte (primeiro) e da Culturgest Porto (em seguida). Assim, o curador dirigiu o primeiro convite a Ângela Ferreira (Maputo, 1958), cuja exposição inaugurou este ciclo e de quem partiu a escolha sobre Jimmie Durham, como seu sucessor. Por sua vez, o artista norte-americano que agora se apresenta, colaborou na seleção do artista seguinte, Elisa Strinna (Pádua, 1982).

As três intervenções conhecerão diferentes declinações no espaço da Fidelidade Arte e da Culturgest Porto, nomeadamente com a presença de obras diferentes, resultado de profundas adaptações dos projetos à diferente natureza dos dois espaços.

No final de cada ano será publicado um livro que compilará a memória dos três projetos do ano, com extensa documentação sobre o seu desenvolvimento.

Leão de Ouro Bienal de Veneza - Jimmie Durham
Leão de Ouro Bienal de Veneza - Jimmie Durham
Partilhar Facebook / Twitter