A Arte Custa

© Bruno Castro.

Arte é trabalho. No entanto, raramente este facto é devidamente entendido. O trabalho nas artes performativas tem sofrido várias transformações que sobressaem em períodos de crise, como a que vivemos agora por força da COVID-19. A “vocação” artística confronta-se com muitas barreiras: a urgência da sobrevivência económica, os imperativos da programação, os pressupostos dos concursos para financiamento, as urgências sociais ou a imposição de agendas políticas. Assistimos a um emagrecimento das estruturas artísticas e de condições de trabalho marcadas pela precariedade e intermitência. Se o trabalho artístico é amplamente dependente das políticas públicas, a lógica da sua valorização não escapa à sua mercantilização.

Neste programa juntamos artistas, investigadores, programadores e curadores, ligados às artes performativas, para debater a relação entre o valor do trabalho artístico e as condições da sua concretização.

 

PROGRAMA
 

14 OUT
 

14:30
Workshop no ISCTE
O que vale a arte: as premissas do trabalho artístico


18:30
Conferência na Culturgest
Pierre-Michel Menger e Izabela Wagner
O trabalho dos artistas e as lógicas de (des)profissionalização
 

15 OUT
 

14:30
Workshop no ISCTE
O que custa a arte: as premissas de organização do trabalho


18:30
Conferência na Culturgest 
Rui Pina Coelho, Vera Borges, João dos Santos Martins, Luísa Veloso, Joana Marques e Maria João Brilhante
O que custa e o que vale a arte?

14–15 OUT 2020

Pequeno Auditório e ISCTE

Entrada gratuita nas conferências*

*mediante reserva prévia através de culturgest.pt (lotação reduzida)

Live streaming das conferências em culturgest.pt

Parceria

ISCTECIES

Parceria

Culturgest, Cies, ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa

Curadoria

Liliana Coutinho, Vera Borges (Cies, ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa ) e Luísa Veloso (Cies, ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa)

Partilhar Facebook / Twitter