BOTÂNICA COLONIAL, BOTÂNICA DECOLONIAL

BOTÂNICA COLONIAL, BOTÂNICA DECOLONIAL

Helena Elias, Teresa Mendes Flores, Margarida Medeiros, Luís Mendonça de Carvalho

BOTÂNICA COLONIAL, BOTÂNICA DECOLONIAL

Helena Elias, Teresa Mendes Flores, Margarida Medeiros, Luís Mendonça de Carvalho

A relação com as plantas e a Botânica nas Missões Científicas coloniais refletiu um modo 'separatista' da relação Sujeito/Objeto, na forma como a flora foi pensada e analisada, por um lado enquanto espelho de uma riqueza nacional alargada pelas colónias; por outro, numa perspetiva económica, que privilegiou o cultivo intensivo de espécies economicamente rentáveis no plano internacional (como o café e o cacau). A partir de fotografias das missões científicas do Instituto de Investigação Científica Tropical (IICT), e no âmbito do Projeto Photo Impulse, que aborda as coleções fotográficas das missões portuguesas científicas e geodésicas em África ao longo do século XX, esta mesa-redonda coloca em diálogo as perspetivas epistemológicas desse passado científico colonial com formas contemporâneas de pensar filosófica, artística e conceptualmente a relação dos humanos com as plantas e com a Botânica.

© Photo Impulse.

09 MAR 2022
QUA 18:30

Pequeno Auditório

Entrada gratuita*
Duração 2h

*com levantamento de bilhete 30 min. antes do início da sessão (sujeito à lotação da sala)

Biografias

Teresa Mendes Flores

 

Teresa Mendes Flores é investigadora principal do projeto Photo Impulse no ICNOVA onde coordena o grupo de investigação Cultura, Mediação e Artes, integrando também a direção do centro. Atualmente, é uma das editoras principais da Revista de Comunicação e Linguagens. Projetos financiados em que participou como investigadora incluem: Feminine Politics – Gender Politics and Strategies Oriented Towards Visibility of Women Members of Parliament (2008-2011), History of the Visual Culture of Medicine in Portugal (2010-2013), Culture at the Front Page – A Study of the Portuguese Newspapers During the First Decade of This Century (2012-2014), Stereo Visual Culture – The Visual Culture of Portuguese Stereoscopic Photography (2012-2015). Realizou um pós-doutoramento sob o tema da fotografia nas expedições científicas portuguesas (2012-2017) e leciona nas áreas da semiótica, arqueologia dos media visuais e teoria da imagem, com principal enfoque para a fotografia e o filme. Dirige atualmente o projeto, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, "Photoimpulse", sobre as missões geodésicas, geográficas e antropológicas realizadas nas ex-colónias entre 1900 e 1960.

 

Margarida Medeiros

 

Margarida Medeiros é investigadora do ICNOVA e professora da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA. Leciona nas áreas de História da Fotografia e Cultura Visual. Participou nos projetos financiados Visual Culture of Medicine in Portugal (2010-1013) e Stereo Visual Culture – The Portuguese Stereoscopic Photography (2012-2015). É coeditora da revista de Comunicação e Linguagens do ICNOVA. Publica regularmente em revistas especializadas, sendo também autora de diversos livros: Fotografia e Narcisismo – o autorretrato contemporâneo (2000), Fotografia e Verdade – uma história de fantasmas (2010), A última imagem – fotografia de uma ficção (2012) e editou a antologia de ensaios Fotogramas – ensaios sobre Fotografia (Lisboa, Documenta, 2016). Crítica e curadora de fotografia, foi responsável por exposições como: Augusto Bobone, Fotoradiografias – 1896 (Fundação EDP / Lisboa, 2014), Tesouros da Fotografia Portuguesa do séc.XIX (em colaboração com Emília Tavares (MNAC / Lisboa, 2015), Fotografia e Viagem (Museu Fotográfico Vicentes / Funchal, 2019).

 

Helena Elias 

 

Helena Elias é Professora Auxiliar na área da Escultura, na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL). Doutorou-se em Arte pública, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Barcelona (2007). Foi Mestre em Artes, pela Grays School of Arts, Universidade Robert Gordon, Aberdeen, Reino Unido (2000) e licenciou-se em Escultura pela FBAUL (1999). O seu projeto de doutoramento recebeu o prêmio Ignacio de Lecea, atribuído pela Generalital e Faculdad de Bellas Artes da U.Barcelona (2009). Enquanto artista, professora e investigadora, articula o ensino e a prática artística, expondo o seu trabalho e publicando diversos artigos e capítulos de livros. Foi-lhe atribuída uma bolsa FCT para a sua pesquisa artística de pós-doutoramento em Escultura na Faculdade de Belas Artes, U.Lisboa. Recebeu o prêmio de melhores práticas do observIST-UL pelas suas oficinas e residência artística no IST Museu de Civil (2019), sob o título "O que há numa linha?" Coordena a linha Investigação em Artes e Ciências do VICARTE, onde desenvolve o projeto Comunidades da Prática – Estratégias Metodológicas para Investigação Colaborativa entre as Artes e as Ciências.

 

Luis Mendonça de Carvalho

 

Luis Mendonça de Carvalho é Biólogo, mestre em bioquímica e fisiologia de plantas, doutor em sistemática e morfologia de plantas (etnobotânica) pela Universidade de Coimbra. Professor coordenador no Instituto Politécnico de Beja, onde fundou e dirige o Museu Botânico. Investigador no Instituto de História Contemporânea da FCSH – Universidade Nova de Lisboa/Universidade de Évora. Visiting Scholar na Universidade de Harvard.

 

Cofinanciado pelo programa Europa Criativa da União Europeia no âmbito do projeto ACT – Art, Climate, Transition

ACT Art Climate Transition

Parceria

ICNOVA-Instituto de Comunicação da Nova

Curadoria
Liliana Coutinho e Margarida de Medeiros

Parceria
Photo Impulse: O impulso fotográfico: medindo as colónias e os corpos colonizados. O arquivo fotográfico e fílmico das missões portuguesas de geografia e antropologia, ICNOVA – Instituto de Comunicação da Nova. 

Partilhar Facebook / Twitter