Este evento já decorreu.

Steve Paxton

© Gene Pittman / Walker Art Center.

Steve Paxton iniciou a sua carreira com estudos em diversas áreas, desde as técnicas de ballet e dança moderna, passando pelas artes marciais orientais, que acabaram por contaminar o seu trabalho ao longo dos anos. Evocando a experiência do jogo, influenciado pela prática da ginástica e do Aikido – arte marcial japonesa que torna ineficaz a violência de qualquer ataque – criou, no início dos anos 1970, a técnica Contacto Improvisação que continua a alimentar, um pouco por todo o mundo, inúmeras investigações artísticas e somáticas. O seu profundo conhecimento do corpo, do seu sentir, da sua fisiologia e das relações deste com o espaço e os outros, expresso também na sua mais recente técnica Material para a Coluna, conduz-nos a uma outra dimensão: a da ética do viver em conjunto.

Tendo passado muitos anos em digressão, improvisando em solo, dueto ou em grupo, Paxton vive desde a década de 1970 numa comunidade artística no norte de Vermont. É destes movimentos que surgirá esta conferência. Uma oportunidade rara para ouvir um dos mais influentes bailarinos e coreógrafos contemporâneos.

A Culturgest apresenta o ciclo Steve Paxton que inclui uma exposição com curadoria Romain Bigé e de João Fiadeiro e a apresentação de algumas performances históricas em palco. O programa Paxton não se esgota aqui. A transversalidade do seu trabalho traduz-se ainda numa série de quatro conferências (para além desta), dois workshops sobre Contacto Improvisação e Material para a Coluna, o envolvimento de escolas e a ativação do espaço expositivo numa arena performativa.

10 MAR 2019
DOM 18:30

Grande Auditório

Entrada gratuita*
Duração 90 min

*Entrada gratuita, mediante levantamento de bilhete no dia a partir das 18:00

Em inglês

A conferência não será transmitida em live streaming, mas será filmada na íntegra e divulgada neste site, FacebookYoutube

Ciclo Steve Paxton

Coreógrafo, bailarino e improvisador norte-americano, Steve Paxton (1939) tem moldado continuamente a face da dança nas últimas seis décadas. Tendo iniciado a sua carreira nos anos 1950, Paxton dançou com José Limon e Merce Cunningham, foi um dos fundadores do Judson Dance Theatre, fonte de criações coletivas que lançaram as raízes da dança pós-moderna, e do coletivo de improvisação nova-iorquino Grand Union. Inventou duas técnicas – Contact Improvisation (Contacto-Improvisação) e Material for the Spine (Material para a Coluna) –, e cruzou-se com artistas plásticos (como Robert Rauschenberg), tornando-se também marcante para o universo das artes visuais. Tudo isto enquanto escrevia extensamente sobre movimento (mais de cem artigos desde 1970) e atuava em espetáculos de dança improvisada por todo o mundo.

O seu trabalho tem vindo a influenciar coreógrafos e bailarinos, muitas vezes ao ponto de se perder a origem de algumas das suas pesquisas: a análise e integração de movimentos quotidianos (como caminhar), a importância do tato, do peso e do equilíbrio e a abertura ao corpo não-técnico.

Em Portugal, o pensamento de Steve Paxton e do Judson Dance Theatre tiveram uma influência decisiva em muitos dos integrantes da chamada Nova Dança Portuguesa, que partilhavam, em vários aspetos, as suas inquietações sobre a relação entre a arte e o quotidiano.

Partindo desta perspetiva, a Culturgest apresenta o ciclo Steve Paxton que tem como elemento central uma exposição com curadoria de Romain Bigé e de João Fiadeiro e a apresentação de algumas performances históricas em palco. O programa Paxton não se esgota aqui. A transversalidade do seu trabalho traduz-se ainda numa série de cinco conferências (a primeira das quais com o próprio Paxton), três workshops sobre Contacto-Improvisação, Material para a Coluna e a relação entre dança e pensamento, o envolvimento de escolas e a ativação do espaço expositivo numa arena performativa.

 

Relação com escolas de dança

 

No contexto da exposição de Steve Paxton, e com o objetivo de assegurar que a obra de um dos filósofos-criadores mais influentes da História da Dança não passe despercebida, a Culturgest contactou algumas escolas de dança  e centros de investigação em Lisboa. Assim se desenhou uma colaboração que terá início com uma série de colóquios-demonstrações sobre o legado de Steve Paxton que os curadores da exposição, Romain Bigé e João Fiadeiro, apresentarão em cada escola/centro associado. De modo a proporcionar um aprofundamento individual do trabalho de Paxton, esta acção prosseguirá com uma presença contínua e participada de estudantes (com livre trânsito) nas galerias da Culturgest. Por último, as escolas/ centros foram encorajadas a deslocar temporariamente para as galerias algumas das suas actividades de modo a que o espaço expositivo fique povoado por praticantes e investigadores.

 

Escolas e centros associados
 

c-e-m. centro em movimento

CI LX jam

Escola Superior de Dança

Escola Superior de Teatro e cinema

FOR - Formação Olga Roriz

Forum Dança

Faculdade de Motricidade Humana

 

Ciclo Steve Paxton na Culturgest
Ciclo Steve Paxton na Culturgest
Conferência Steve Paxton na Culturgest
Conferência Steve Paxton na Culturgest
Partilhar Facebook / Twitter